Busca avançada
Ano de início
Entree

Deficiência e insuficiência de vitamina D são fatores de risco para incidência de dinapenia em indivíduos com 50 anos e mais?

Processo: 19/07417-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tiago da Silva Alexandre
Beneficiário:Maicon Luis Bicigo Delinocente
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Força da mão   Incidência   Geriatria   Dinapenia   Envelhecimento da população   Adultos   Idosos   Vitamina D   Deficiência de vitamina D

Resumo

O processo de envelhecimento é marcado por múltiplas alterações corporais e neurofisiológicas que podem causar a diminuição da força neuromuscular, a qual denominamos dinapenia. Esse mecanismo contribui para a limitação de mobilidade, lentidão da marcha, deterioração do equilíbrio que, somado a outros aspectos do envelhecimento, impactam negativamente na capacidade funcional e corroboram para o aumento de desfechos adversos. Inúmeros estudos acerca da função da vitamina D (25(OH)D) no corpo humano foram desenvolvidos, mas o interesse se intensificou após a descoberta da expressão de receptores específicos de vitamina D (Vitamin D receptor - VDR) nas células musculares. Embora estudos indiquem que a expressão do VDR no músculo diminui significativamente com a idade, pouco se sabe a respeito do efeito da 25(OH)D sobre a incidência de dinapenia em indivíduos com mais de 50 anos de idade. Objetivo: Verificar se a deficiência e a insuficiência de 25(OH)D são fatores de risco para a incidência de dinapenia em indivíduos com mais de 50 anos de idade num período de quatro anos de acompanhamento. Metodologia: Estudo longitudinal prospectivo que analisará os dados do English Longitudinal Study of Aging (Estudo ELSA), parte do consórcio InterCoLAging (International Collaboration of Longitudinal Study of Aging) coordenado pelo orientador dessa proposta. A linha de base será a sexta onda do estudo (2012 - 2013) com amostra de 9.169 indivíduos com 50 anos e mais, momento onde a 25(OH)D foi coletada pela primeira vez e que, para as nossas análises, será considerada em três estratos (deficiência <30 nmol/L, insuficiência de 30 a 75nmol/L e suficiência >75 nmol/L). Serão incluídos para a análise de incidência somente os indivíduos com força de preensão manual (FPM) e 26 Kg para homens e e 16 kg para mulheres, ou seja, sem o desfecho em questão. A incidência de dinapenia (FPM < 26 kg para homens e < 16 kg para mulheres) será avaliada na oitava onda do estudo, após quatro anos de acompanhamento. Serão calculadas as densidades de incidência para os três estratos de 25(OH)D e, posteriormente, serão realizados modelos de regressão logística e de Poisson. Os modelos serão ajustados por variáveis sociodemográficas, comportamentais e clínicas. Resultados esperados: Espera-se que a incidência de dinapenia seja maior em indivíduos com deficiência e insuficiência de 25(OH)D. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.