Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de alterações moleculares em pequenos grupos neurais seletivamente ativados (neuronal ensembles) do núcleo acumbens, que medeiam a incubação da fissura a cocaína induzida pelo ambiente

Processo: 18/14153-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Fabio Cardoso Cruz
Beneficiário:Augusto Anesio
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07600-3 - CIBFar - Centro de Inovação em Biodiversidade e Fármacos, AP.CEPID
Assunto(s):Drogas ilícitas   Cocaína   Transtornos relacionados ao uso de substâncias   Transtornos relacionados ao uso de cocaína   Neurônios   Síndrome de abstinência a substâncias   Modelos animais

Resumo

A dependência a substâncias psicoativas de abuso é um problema de saúde pública com sérios impactos sociais no Brasil e no mundo. Na América do Sul e Caribe, cerca de 40% dos indivíduos realizando tratamento para a dependência, o fazem devido a problemas relacionados ao uso de cocaína. A dependência de drogas de abuso, é uma condição de longa duração na qual os indivíduos continuam a apresentar intensa fissura e grande risco de recaída mesmo depois de anos de abstinência. Assim, grande parte dos estudos, se concentram na compreensão dos mecanismos que desencadeiam a fissura e a consequente recaída. A fissura e a consequente recaída podem ser desencadeadas pela exposição do indivíduo a contextos previamente associados ao uso de drogas. Nesse sentido, uma das teorias sobre a dependência propõe que essa psicopatologia envolve comportamentos de aprendizado associativo. O aprendizado associativo é codificado por pequenos grupos neurais esparsamente distribuídos pelo encéfalo, conectados entre si por sinapses fortes, conhecidos pelo termo inglês "neuronal ensembles". Por este viés, estudos demonstram que alterações moleculares presentes nesses grupamentos neurais estão associadas a comportamentos relacionados a dependência de drogas. É demonstrado que a fissura pelo o uso de drogas, induzida por pistas ambientais, aumenta progressivamente ao longo das primeiras semanas de abstinência e mantem-se intensa após longos períodos. Esse fenômeno é chamado de incubação da fissura. A incubação da fissura é associada ao desenvolvimento de plasticidades no sistema mesocorticolimbico. O presente estudo tem como objetivo investigar o papel de alterações moleculares presentes nos neuronal ensembles do núcleo acumbens, induzidas pela associação da autoadministração de cocaína e o ambiente, sobre o processo de incubação da fissura. Para tanto, ratos serão treinados a autoadministrar cocaína em um determinado contexto por doze dias. Em seguida, serão mantidos abstinentes em suas gaiolas-moradia. A expressão da incubação da fissura será avaliada expondo grupos distintos de animais ao contexto de autoadministração de cocaína 1 e 30 dias após o final do treino. Utilizando esse modelo pretendemos: i) identificar, quantificar e conhecer os fenótipos celulares dos neuronal ensembles do núcleo acumbens que serão ativados durante os testes de incubação da fissura (1º e 30º dias de abstinência); ii) verificar se as plasticidades neurais que medeiam a incubação da fissura são incubadas nos mesmos arranjos neurais ao longo do período de abstinência; iii) avaliar o papel dos neuronal ensembles ativados no 1º dia de abstinência sobre a incubação da fissura observada 30 dias após ao término do treino de autoadministração de cocaína. Para tanto, utilizaremos a técnica de inibição por optogenética; iv) investigar as alterações moleculares presentes nos neuronal ensembles do núcleo acumbens, ativados pela reexposição ao ambiente de autoadministração após 1 ou 30 dias de abstinência. Para isso, utilizaremos as técnicas de separação de neurônios ativados por citometria de fluxo, seguida por análise proteômica por espectrometria de massas; v) a partir dos dados obtidos pela análise proteômica, definiremos um ou dois alvos moleculares relevantes e então realizaremos manipulação da expressão gênica destes alvos. A manipulação poderá ser tanto no sentido de aumentar como de suprimir a expressão destes genes. Para garantir a manipulação especifica dos neuronal ensembles utilizaremos ratos transgênicos c-Fos_TETOp::iCRe e vetores virais, que permitirão a expressão das proteínas de interesse apenas em neurônios ativados durante nossos testes comportamentais. (AU)