Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação de miRNAs identificados por microarray em amostras de Câncer Gástrico por qRT-PCR

Processo: 19/12334-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Marilia de Arruda Cardoso Smith
Beneficiário:Yeda Beatriz Louredo dos Santos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncogenética   Neoplasias gástricas   Marcador molecular   MicroRNAs

Resumo

O elevado índice de mortalidade do Câncer Gástrico (GC) é decorrente de sua detecção em fase avançada da doença, quando podem ser então, verificados sinais e sintomas da afecção. Não há assim, possibilidade de detecção precoce clinicamente neste tipo tumoral. A investigação de marcadores moleculares, que possam permitir a detecção precoce desta doença, assim, é promissora e pode levar à redução da mortalidade. Os micro RNAs (miRNAs) constituem uma classe de pequenas moléculas envolvidas no processo transcricional da regulação da expressão gênica; que, em geral, silenciam o gene alvo. Em Projeto Temático anterior "Aspectos genéticos e Epigenéticos na carcinogênese gástrica" (FAPESP Auxílio Temático 2009/07145-9) verificamos genes diferencialmente expressos, pela técnica de microarray de expressão, em duas linhagens de CG estabelecidas pelo nosso grupo, tratadas e não tratadas pelo agente desmetilante, 5-aza-2-deoxicitidina. Este procedimento evidenciou que a expressão dos miRNAs miR-21, miR-105-1, miR-519a2 estava regulada epigeneticamente, por meio da metilação do DNA e/ou da histona. A proposta atual visa validar estes miRNAs nos tumores, margem não neoplásica e em mucosas gástricas controles por meio da técnica de qRT-PCR. Além desta proposta, pretende-se iniciar a construção de uma biblioteca de cDNA para o sequenciamento de amostras de tecido gástrico, ampliando, potencialmente, o número de miRNAs envolvidos no desenvolvimento do CG.