Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigações espectroscópicas da lactose oxidase e seus "carbon dots" conjugados

Processo: 19/07692-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 06 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 05 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Marystela Ferreira
Beneficiário:Marystela Ferreira
Anfitrião: Roger Leblanc
Instituição-sede: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Miami, Estados Unidos  
Assunto(s):Filmes ultrafinos   Materiais nanoestruturados   Espectroscopia

Resumo

O projeto visa ao estudo da incorporação de lactose oxidase (LO) e Carbon dots modificados com Lactose oxidase (CDs-Lactose oxidase) utilizando as técnicas de Langmuir e LB (Langmuir-Blodgett) com a finalidade de estudar o comportamento fisíco-químico da proteína livre e modificada, ao final, a aplicação desse material no biossensoriamento optico-eletroquimico. A LO oxida a lactose em ácido lactobiônico, produzindo H2O2 que pode atuar como antimicrobiano e ativar o sistema lactoperoxidase (LPS), um sistema antimicrobiano presente no leite. As monocamadas de Langmuir serão caracterizadas por isotermas de pressão de superfície, potencial de superfície, PMIRRAS (Espectroscopia de Absorção de Reflectância por Infravermelho por Modulação por Polarização), Microscopia do ângulo de Brewster (BAM). Os filmes LB serão caracterizados por espectroscopia no ultravioleta e visível (UV-vis), fotoluminescência (PL), espectroscopia de dicroísmo circular, infravermelho por transformada de Fourier (FTIR) e os biossensores serão caracterizados por técnicas eletroquímicas. A caracterização morfológica será realizada por microscopia de força atômica (AFM).