Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização de metodologias analíticas para verificação da eficácia de biofertilizantes

Processo: 18/25956-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Marcos Yassuo Kamogawa
Beneficiário:Milton Katsumi Sasaki
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Fertilizantes biológicos   Bioatividade   Soja

Resumo

A falta de protocolos aprimorados para classificação de biofertilizantes é um fator limitante na legislação atual. No Brasil, os biofertilizantes são definidos como produtos com compostos ativos que promovem melhoras nas características de crescimento, da ontogenia, de variáveis bioquímicas e na resposta a estresses abióticos, resultando em aumento de produtividade. Entretanto, esta avaliação e consequente classificação é complexa, uma vez que as demais classes de fertilizantes minerais, organominerais e inoculantes também podem promover efeitos similares. Neste sentido, o objetivo deste projeto é a avaliação de um conjunto de métodos analíticos que permitam avaliar as propriedades preconizadas aos biofertilizantes, definindo um protocolo analítico capaz de classificar estes produtos e demonstrar propriedades de bioatividade, atendendo a legislação brasileira vigente. O protocolo, proposto ao final desta pesquisa, deverá subsidiar a padronização das avaliações relacionadas à eficiência dos biofertilizantes, podendo ser apresentado aos órgãos competentes como proposta de procedimento oficial. Serão avaliados procedimentos analíticos simples e robustos para análise de produtos comerciais, contendo e.g. substâncias húmicas, aminoácidos e extratos de plantas e algas, destinados ao cultivo de soja. Estes procedimentos deverão ser capazes e suficientes na avaliação de características relativas ao crescimento, à ontogenia, a variáveis bioquímicas e na resposta a estresses abióticos. O efeito sobre a germinação de sementes, vigor de plântulas, desenvolvimento radicular e produção, será avaliado aplicando-se os produtos via tratamento de sementes. Em relação às variáveis bioquímicas, serão realizados estudos enzimáticos em solo, incluindo ²-glucosidase, fosfatase ácida e aril-sulfatase, estas enzimas foram selecionadas devido a seus papéis nos ciclos de carbono, fósforo e enxofre, respectivamente. O efeito sobre a resposta a estresses será avaliado utilizando-se a fluorescência da clorofila a, estratégia muito empregada para monitorar o desempenho fotossintético de plantas de forma não invasiva. A avaliação do estado nutricional das plantas será baseada na composição mineral das mesmas. Devido à característica multidisciplinar, este projeto contará com o apoio de especialistas em nutrição de plantas, adubos e adubação, microbiologia e químicos.