Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da etapa final do sinal insulínico, via inflamatória, estresse oxidativo, mecanismo epigenético por metilação do DNA e da expressão de GLUT4 no músculo gastrocnêmio de ratos adultos, proles de ratas com Periodontite Apical

Processo: 19/04182-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Doris Hissako Sumida
Beneficiário:Thaís Verônica Saori Tsosura
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Inflamação   Periodontite periapical   Endocrinologia   Desenvolvimento fetal   Músculo esquelético   Resistência à insulina   Transportador de glucose tipo 4   Estresse oxidativo   Metilação de DNA   Modelos animais

Resumo

A programação fetal sugere que estímulos adversos quando aplicados durante o início do desenvolvimento fetal podem alterar o metabolismo da prole, aumentando o risco de doenças na sua vida adulta. A metilação do DNA é um dos mecanismos epigenéticos envolvida nesta programação e regula a expressão gênica. Estudos anteriores verificaram que a Periodontite Apical (AP) materna em ratas promove em sua prole adulta: resistência insulínica, alteração na etapa inicial do Sinal Insulínico (SI) no Músculo Gastrocnêmio (MG) e aumento na concentração plasmática de fator de necrose tumoral-alfa (TNF-alfa). O TNF-alfa pode ativar o fator de transcrição nuclear kappa B (NF-kB) que diminui a expressão gênica do transportador de glicose GLUT4. Nesse contexto, mais estudos são necessários para investigar se as alterações no SI observadas em ratos adultos, proles de ratas com AP também estão presentes na continuidade da cascata insulínica. Ademais, sabendo-se que o estresse oxidativo tem sido implicado como fator contribuinte tanto para o início quanto para a progressão do diabetes, torna-se fundamental verificar o grau de estresse oxidativo tecidual nesta prole adulta. Em vista disso, os objetivos deste estudo serão avaliar a sensibilidade à insulina, estresse oxidativo, etapa final do SI e via inflamatória no MG de ratos adultos, proles de ratas com AP. Para tanto, as 21 ratas Wistar (2 meses de idade) serão distribuídas em 3 grupos: 1) ratas controle; 2) ratas com 1 AP induzida em 1º molar superior direito; 3) ratas com 4 APs induzidas em 1os e 2os molares superiores e inferiores do lado direito. A AP será induzida empregando-se broca em aço carbono dotada de esfera de 0,1 mm na extremidade. Após 30 dias da exposição pulpar, as ratas de todos os grupos serão colocadas para acasalamento. Quando os filhotes machos de todas as ratas completarem 75 dias de idade, serão realizadas as seguintes análises: 1) glicemia e insulinemia; 2) grau de fosforilação em serina/treonina da Akt no MG; 3) conteúdo de GLUT4 e seu índice de translocação para membrana plasmática no MG; 4) expressão gênica do GLUT4 e TNF-alfa no MG; 5) grau de fosforilação de NF-kB p50 e p65 no MG; 6) conteúdo de TNF-alfa e PGC-1alfa no MG; 7) grau de estresse oxidativo no MG (espécies reativas ao tiobarbitúrico e superóxido dismutase); 8) grau de metilação do DNA na região promotora do gene do GLUT4 no MG. A análise estatística será feita por ANOVA, seguida pelo teste de Tukey (p<0,05). (AU)