Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de bactérias promotoras de crescimento em grama São Carlos, visando a redução da adubação nitrogenada em área de produção

Processo: 19/06345-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira Filho
Beneficiário:Castro Alves da Silva Junior
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição vegetal   Azospirillum brasilense   Bacillus subtilis   Nitrogênio   Pseudomonas fluorescens

Resumo

A utilização dos gramados em suas diversas finalidades (ornamentais, esportivas, em rodovias, proteção de áreas degradadas) tem aumentado a demanda por gramas no Brasil e sua produção tem crescido. A grama São Carlos (Axonopus compressus (Swartz.) Beauv) é a segunda mais cultivada no Brasil, após a esmeralda, sendo indicada para áreas a pleno sol e também a mais recomendada para áreas com menor luminosidade. A São Carlos Plus é uma variedade que resulta em gramados mais homogêneos e de mais fácil manutenção do que a tradicional São Carlos. Para a produção de gramas, o nutriente mais exigido é o nitrogênio (N). Logo, a aplicação de bactérias promotoras de crescimento de plantas (BPCPs) pode promover resultados relevantes na fixação de N2, gerando maior desenvolvimento radicular devido à ação fitormonal, aumentando, portanto, a absorção de água e nutrientes pela grama, sendo mais sustentável ao meio ambiente. Sendo assim, objetiva-se avaliar a aplicação de bactérias promotoras de crescimento de plantas (Bacillus subtilis, Pseudomonas fluorescens e Azospirillum brasilense) em área de produção comercial da grama São Carlos Plus, no município de Pereira Barreto/SP, visando a redução da adubação nitrogenada e, consequentemente, reduzindo custos para o produtor. O experimento será conduzido de janeiro de 2019 a dezembro de 2019. Será utilizado o delineamento em blocos casualizados com 16 tratamentos dispostos em fatorial 4 x 4, com quatro repetições, em 10 m2 por parcela. Os tratamentos serão: três BPCPs (A. brasiliense, B. subtilis e P. fluorescens) além da ausência delas, combinadas com três doses de N (100, 75 e 50% da dose aplicada na área de produção, de 280 kg ha-1) mais a testemunha (sem N). As doses de N, utilizando como fonte a ureia, serão aplicadas manualmente após o corte do tapete e repetidas a cada 2 meses até a total cobertura do solo pela grama. A aplicação das BPCPs será realizada após o corte do tapete anterior, no mesmo dia que a primeira parcela da adubação, sendo utilizados 200 mL do inoculante contendo as BPCPs diluído em calda de 400 L ha-1 e pulverizado sobre o solo. Serão avaliados: a taxa de cobertura do solo pela grama (TCS) e a intensidade da coloração verde da grama pela análise por imagem digital da parte aérea; o índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI); a matéria seca e as concentrações de macronutrientes nas folhas bem como o sistema radicular da grama (a matéria seca e concentração de macronutrientes nas raízes). Também será avaliada a eficiência agronômica dos tratamentos.