Busca avançada
Ano de início
Entree

Construção de uma biblioteca de phage display de epítopos de Trypanosoma cruzi para identificação de um perfil de anticorpos em cardiomiopatia chagásica crônica

Processo: 19/11821-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Alexandre da Costa Pereira
Beneficiário:Gabriela Venturini da Silva
Supervisor no Exterior: Cristine E. Seidman
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Boston, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/13706-0 - Perfil completo de anticorpos contra T. cruzi e auto-anticorpo na cardiomiopatia chagásica: utilizando tecnologias de phage display e sequenciamento da próxima geração para reavaliar uma hipótese antiga, BP.PD
Assunto(s):Cardiologia   Cardiomiopatia chagásica   Anticorpos   Trypanosoma cruzi   Phage display

Resumo

A Insuficiência Cardíaca (IC) é um problema epidêmico mundial e é o resultado de múltiplas condições cardiovasculares e sistêmicas. A Cardiomiopatia Chagásica Crônica (CCC) é uma das IC causadas por processo infeccioso. A doença de Chagas é uma doença tropical causada pelo parasita intracelular Trypanosoma cruzi (T cruzi) e, apesar da alta prevalência nos países da América Latina, o número de pessoas infectadas em áreas não endêmicas como Estados Unidos e Canadá está aumentando nas últimas décadas. Atualmente, cerca de 8 milhões de pessoas estão infectadas pelo T cruzi e aproximadamente 70 milhões estão em risco de infecção. Cerca de 70% das pessoas infectadas permanecem em uma forma assintomática; entretanto, décadas após a infecção, 30% desenvolverão alguma manifestação crônica e, dentre elas, a CCC é a manifestação mais grave. Até o momento, não há cura para a forma crônica da doença ou qualquer biomarcador ou característica clínica pode ser útil como um preditor do desenvolvimento da CCC. Os mecanismos envolvidos no desenvolvimento da CCC não estão bem estabelecidos, mas a resposta imune tem sido destacada desde os anos 90 como um mediador da patogenicidade da doença. Ambas, uma resposta específica contra o parasita e a resposta autoimune do hospedeiro, parecem ter um papel na resposta crônica após a infecção e implicam no desenvolvimento da doença. Aqui estamos propondo o uso de uma metodologia de alto rendimento que é capaz de rastrear de forma abrangente a resposta de anticorpos em amostras biológicas contra todo proteome do T. cruzi. Utilizando a metodologia PhIPseq, serão utilizados soros de pacientes chagásicos com e sem cardiomiopatia para identificar o reconhecimento contra epitopos de T. cruzi e associá-los à presença e títulos de anticorpos identificados à gravidade e progressão da doença. Para isso, construiremos uma biblioteca específica contendo os peptídeos T cruzi e analisaremos usando uma grande coleção de amostras de sangue do Consórcio Brasileiro de Genética da Cardiomiopatia Chagásica.