Busca avançada
Ano de início
Entree

Indução do modelo de Doença de Parkinson por 6-OHDA (6-hidroxidopamina) e análises comportamentais

Processo: 19/11448-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 15 de agosto de 2019
Vigência (Término): 14 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Catarina Raposo Dias Carneiro
Beneficiário:Davi Felipe de Almeida
Supervisor no Exterior: Liana Melo-Thomas
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Philipps-Universität Marburg, Alemanha  
Vinculado à bolsa:17/19799-0 - Efeitos do sildenafil (Viagra, Pfizer) sobre o perfil inflamatório na Doença de Parkinson, BP.IC
Assunto(s):Neurociências   Doença de Parkinson

Resumo

A doença de Parkinson (DP) é uma condição neurodegenerativa que afeta o Sistema Nervoso Central. É uma degeneração idiopática e atinge cerca de 1 % da população idosa acima de 60 anos em todo o mundo. Uma vez que o perfil epidemiológico da população está mudando, com aumento do número de pessoas idosas, a DP está também mais comum e pesquisas para entender a doença e para desenvolver novas terapias estão aumentando. Para esses estudos, modelos experimentais induzidos em ratos ou camundongos são muito úteis e bem consolidados; entretanto, maneiras diferentes de induzir DP estão sendo ainda avaliadas e comparadas, uma vez que nenhuma delas reproduz acuradamente a doença desenvolvida em humanos. Um desses modelos é induzido pelo herbicida rotenona (Rot), administrado sistemicamente no animal e capaz de atravessar a barreira hematoencefálica e induzir a morte de neurônios dopaminérgicos; esse modelo tem sido usado pelo nosso grupo por que é relativamente simples de induzir e menos tóxico do que outros modelos. Entretanto, desvantagens são também observadas, tais como a necessidade de altas doses de Rot para observação de sinais clínicos, levando a alta mortalidade; a alta probabilidade de atividade sistêmica não conhecida, levando a efeitos colaterais não necessariamente atribuídos à PD; a possível interação do herbicida com o fármaco estudado (por exemplo, sildenafil - Viagra, Pfizer - nas nossas pesquisas), entre outros. Considerando esses aspectos, testar o fármaco em um segundo modelo experimental ajudaria a confirmar e compreender os resultados demonstrados em nossos estudos usando o modelo de Rot. O grupo de pesquisa da Phillips-Margur University, liderado pela Professora Liana Melo-Thomas, tem expertise na indução do modelo de DP pela 6-hidroxidopamina (6-OHDA), o qual é desenvolvido pela injeção da droga diretamente na área cerebral afetada na DP, a Substância Negra do Mesencéfalo. O grupo também tem extensa experiência em testes fisiológicos, tais como o teste de catalepsia e campo aberto. Portanto, a presente proposta tem como objetivo estabelecer uma contribuição mútua entre o Departamento de Psicologia da Phillips-Margur University e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). O aluno (beneficiário) da UNICAMP participará do projeto: "Influence of the lower colliculus on motor deficits of parkinsonian rodents: behavioral and electrophysiological studies", financiado pela agência de fomento Alemã, Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG), e será treinado em cirurgia estereotáxica, indução experimental do modelo 6-OHDA, estimulação elétrica intracerebral e análises comportamentais em ratos parkinsonianos. Uma vez que a linha de estudo com DP está iniciando no nosso grupo, o estudante introduzirá esses métodos, treinando os colegas e melhorando nossas pesquisas.