Busca avançada
Ano de início
Entree

Genotipagem de t. cruzi em amostras de pacientes imigrantes, residentes na Europa. correlação entre a epidemiologia molecular do Trypanosoma Cruzi, com as diferentes formas clínicas da Doença de Chagas no continente europeu

Processo: 19/11943-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Antonio Marin-Neto
Beneficiário:Maykon Tavares de Oliveira
Supervisor no Exterior: Israel Molina Romero
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Vall d'Hebron Research Institute (VHIR), Espanha  
Vinculado à bolsa:18/22093-4 - Genotipagem de t. cruzi em amostras de pacientes com CCC no Brasil. um subestudo do projeto BENEFIT, BP.PD
Assunto(s):Cardiologia   Doença de Chagas   Técnicas de genotipagem   Evolução clínica   Trypanosoma cruzi

Resumo

A Doença de Chagas (DCh) têm como agente etiológico o protozoário hemoflagelado denominado Trypanosoma cruzi. A espécie possui uma estrutura genética que permite a subdivisão em seis grupos genéticos distintos, denominados TcI à TcVI, que têm apresentado diferenças frente a distribuição geográfica, propriedades biológicas principais e susceptibilidade a droga. Entretanto, a associação entre a variabilidade genética com as formas clínicas da DCh, até o presente momento não está estabelecida. É conhecido o predomínio das DTU's TcI, TcII, e TcVI em diversas regiões da América Latina, associadas tanto ao ciclo doméstico como ao silvestre da Doença de Chagas. No entanto, pouco se sabe sobre a circulação dos diferentes genótipos do T. cruzi em imigrantes latinos americanos chagásicos, residentes no continente europeu. Tal doença têm se tornado um grave problema de saúde pública na Europa, principalmente em relação à transmissão vertical e em bancos de sangue, onde não são aplicadas as medidas de controle usuais. Desse modo, esse projeto pretende, verificar os genótipos dos parasitos presentes em 400 pacientes com DCh, atendidos no ambulatório de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário Vall d'Hebron em Barcelona - Espanha, e avaliar a existência de potenciais alvos no genoma dos parasitos, com a finalidade de correlacionar os resultados com a evolução clínica dos mesmos. Para atender o objetivo principal, formas epimastigotas pertencentes aos seis genótipos do parasito serão mantidas em crescimento exponencial e utilizadas como perfis de referências. Serão coletados 20 ml de sangue periférico de cada paciente, sendo 5 ml de sangue adicionados a Guanidina/EDTA, para posterior extração de DNA e caracterização molecular dos parasitos, 5ml de sangue total para extração de DNA e realização de Real time PCR para diagnóstico da Doença de Chagas e 10 ml para realização de hemocultura na tentativa de isolar os parasitos. Serão realizadas ainda, avaliações clínicas em todos os pacientes Chagásicos crônicos. A genotipagem será realizada com a utilização de PCR convencional multilocus, com utilização da amplificação intergênica do gene do Spliced Leader utilizando os iniciadores UTCC e TCac (SL-IRac), domínio variável D7 do gene da subunidade 24S± do RNA ribossomal, região intergênica do gene do Spliced Leader utilizando os iniciadores 1AM e 1B e região do fragmento nuclear A10 utilizando, em semi-nested. Além da genotipagem, será realizada um "screening" no genoma dos parasitos isolados dos pacientes por hemocultura, para identificação de genes potenciais alvos, que sirvam como marcadores de prognóstico para a doença crônica. A correlação dos resultados encontrados nos pacientes Chagásicos imigrantes, com os dados dos pacientes atendidos no HCFMRP-USP, será de extrema importância para o entendimento dos aspectos biológicos e clínicos do T. cruzi em pacientes crônicos, bem como, entender a epidemiologia molecular do T. cruzi em países não endêmicos.