Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação do proteoma muscular com a qualidade de carne de bovinos Angus x Nelore terminados em diferentes sistemas de terminação e taxas de ganho de peso

Processo: 19/10841-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Daniel Silva Antonelo
Beneficiário:Larissa Alves Koulicoff
Supervisor no Exterior: Thu Dinh
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Mississippi State University (MSU), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:18/20478-6 - Correlação do proteoma muscular com a qualidade de carne de bovinos Angus x Nelore terminados em diferentes sistemas de terminação e taxas de ganho de peso, BP.IC
Assunto(s):Qualidade da carne   Pastagens   Confinamento   Proteômica   Crescimento animal   Maciez

Resumo

Objetiva-se com este trabalho correlacionar o proteoma muscular com a maciez da carne de bovinos Angus x Nelore terminados em diferentes sistemas de terminação e taxa de ganho de peso. O experimento será realizado utilizando um delineamento em blocos casualizados (peso vivo inicial) em um arranjo fatorial 2 x 2, sendo, dois sistemas de terminação (pasto e confinamento) e duas taxas de ganho de peso (alta e baixa). Serão utilizados 38 machos castrados Angus x Nelore, com peso médio inicial de 390±30 kg e 20 meses de idade. No início do experimento, dois animais serão separados aleatoriamente para serem abatidos, como animais referência. Dos 36 animais restantes, 18 serão alojados em confinamento experimental e 18 animais serão alocados em piquetes de capim Brachiaria brizantha cv. Marandu. Em cada sistema de terminação (confinamento e pasto) será definida duas taxas de ganho de peso distintas com 18 animais por tratamento: 1) confinamento com elevada taxa de ganho de peso; 2) confinamento com baixa taxa de ganho de peso; 3) pasto com elevada taxa de ganho de peso; 4) pasto com baixa taxa de ganho de peso diária. Os animais serão abatidos ao atingirem 540 kg de peso vivo. Após o abate, será avaliado a maciez instrumental da carne, a qual será correlacionada com o proteoma muscular. O proteoma muscular será extraído, sua concentração será determinada e as proteínas musculares serão identificadas e correlacionadas com a maciez instrumental da carne.