Busca avançada
Ano de início
Entree

Unidades evolutivas e conservação do veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus Linnaeus, 1758) no Brasil

Processo: 19/07655-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:José Maurício Barbanti Duarte
Beneficiário:Rullian César Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Filogenia   Diversidade genética   DNA mitocondrial   Cervidae   Características da população

Resumo

O veado-campeiro é um cervídeo neotropical que pode ser encontrado em fitofisionomias abertas desde o sul do amazonas até a argentina. Ele é classificado pela IUCN como "quase ameaçado (NT)", devido à perda de habitat e outras consequências relacionadas às intervenções antrópicas no meio ambiente. Devido a essa situação, o Plano Nacional para a Conservação de Cervídeos Ameaçados de Extinção sugere várias ações para o aumento do conhecimento sobre as populações relictuais. Dentre as ações sugeridas, está o desenvolvimento de trabalhos que caracterizam as variáveis genéticas destas populações. Na literatura, temos uma lacuna no conhecimento em relação às áreas amostradas no Brasil, à quantidade de marcadores analisados juntos e às análises utilizadas para caracterizar estas populações. O presente trabalho objetiva amostrar e caracterizar as populações de veado-campeiro, ao longo de sua distribuição no Brasil. Essa caracterização se dará por meio de amostragem não invasiva, baseada em extração de DNA fecal, propiciando amostragem ampla e numerosa. Para tal, serão realizadas análises genético-populacionais e com a utilização de grande número marcadores mitocondriais, trazendo novas perspectivas sobre as populações da espécie. Diante do exposto, hipotetizamos que estas populações devam apresentar estruturação genética e que a mesma ocorra em função do isolamento por distância. O teste dessas hipóteses implicará na proposição ou balizamento de ações de manejo populacional e definição de unidades significativas evolutivas para fins conservacionistas.