Busca avançada
Ano de início
Entree

Farelo de glúten de milho na dieta de bovinos confinados: consumo, desempenho e comportamento ingestivo

Processo: 19/04798-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Otávio Rodrigues Machado Neto
Beneficiário:Luiz Antonio Fogaça
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição animal   Dieta animal   Comportamento animal   Confinamento animal   Bovinos de corte   Gado Nelore   Matéria seca do alimento   Farelos   Glutens   Eficiência alimentar

Resumo

As dietas de bovinos confinados comumente apresentam alta proporção de carboidratos não fibrosos, especialmente amido oriundo do milho. As dietas com alta energia podem causar desordens digestivas, causando instabilidade nos processos fermentativos e prejuízos ao desempenho animal. Diante disso, a busca por subprodutos da agroindústria que possam otimizar o desempenho e reduzir custos com alimentação, tem atraído o interesse da cadeia produtiva. O objetivo desta pesquisa é avaliar o efeito da inclusão do farelo de glúten de milho seco sobre o consumo, desempenho e comportamento ingestivo de tourinhos Nelore. Serão utilizados 120 bovinos macho não-castrados, com aproximadamente 361,2 ± 15 kg de peso vivo inicial e submetidos aleatoriamente em quatro tratamentos com níveis crescentes de farelo de glúten de milho seco (0, 18, 36, 54% da MS da dieta) em substituição ao milho moído. O consumo de matéria seca será mensurado diariamente. Serão coletados dados referentes ao comportamento ingestivo por meio de observação visual durante 24 horas a cada 5 minutos, bem como avaliação da seletividade dos ingredientes da dieta por meio da coleta de amostras da dieta ofertada e sobras referente ao dia de avaliação de comportamento. Após 113 dias de confinamento, os animais serão pesados para obter-se o peso final e calcular o ganho médio diário, conversão e eficiência alimentar. Os dados serão analisados através de contrastes, por meio do software SAS 9.4.