Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da influência do diterpeno manool sobre a genotoxicidade induzida por doxorrubicina e sua relação com a expressão do gene NF-kB

Processo: 19/06903-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Denise Crispim Tavares Barbosa
Beneficiário:Tabata Rodrigues Esperandim
Instituição-sede: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Quimioprevenção   Sálvia   Salvia officinalis   Diterpenos   Genotoxicidade   Modelos animais de doenças

Resumo

A Salvia officinalis L. é um subarbusto lenhoso perene, nativo da região do Mediterrâneo, popularmente conhecido como sálvia. Essa espécie é amplamente distribuída no mundo, podendo ser utilizada tanto em preparações culinárias quanto para fins medicinais. A S. officinalis apresenta diferentes propriedades biológicas, tais como: antiespasmódica, antimicrobiana, anti-inflamatória e carminativa. Dentre os metabólitos mais abundantes da S. officinalis, destaca-se o diterpeno manool, o qual demonstrou efeito citotóxico seletivo entre linhagem celular normal e diferentes linhagens tumorais. Além disso, apresentou efeito quimiopreventivo contra danos induzidos pelo mutágeno metil metanosulfonato em linhagem celular de hepatocarcinoma humano (HepG2). Assim, em face das propriedades biológicas da S. officinalis e do diterpeno manool, uma de suas substâncias majoritárias, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência do manool sobre a genotoxicidade induzida pela doxorrubicina (DXR) em camundongos Swiss, bem como estudar o seu mecanismo de ação por meio da análise da expressão do gene NF-kB em tecido renal. Ainda, objetiva-se avaliar a hepatotoxicidae dos tratamentos com manool e/ou DXR através da dosagem bioquímica dos níveis séricos das enzimas alanina aminotransferase e aspartato aminotransferase. O teste de micronúcleo em sangue periférico será empregado para o estudo do efeito citotóxico, genotóxico e antigenotóxico do manool. Os animais serão tratados com três diferentes doses de manool (baixa, intermediária e alta) seguidas pela administração do indutor de danos cromossômicos DXR. A genotoxicidade e antigenotoxicidade será avaliada por meio da frequência de eritrócitos policromáticos micronucleados. A citotoxicidade dos tratamentos será avaliada considerando-se a razão entre eritrócitos policromáticos e o total de eritrócitos. A análise da expressão do gene NF-kB em tecido renal dos animais submetidos aos diferentes tratamentos será conduzida por imuno-histoquímica. Desse modo, o estudo em questão permitirá melhor entendimento sobre a ação do manool no organismo, possibilitando o uso seguro e eficaz em futuras aplicações terapêuticas.