Busca avançada
Ano de início
Entree

Integrando as dimensões da biodiversidade microbiana ao longo de áreas de alteração do uso da terra em florestas tropicais

Processo: 19/11806-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Convênio/Acordo: NSF - Dimensions of Biodiversity e BIOTA
Pesquisador responsável:Tsai Siu Mui
Beneficiário:Wanderlei Bieluczyk
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Isótopos estáveis   Florestas tropicais   Bacia amazônica   Amazônia   Desmatamento   Uso do solo   Microbiologia do solo   Metano

Resumo

A floresta da Amazônia é a floresta equatorial mais extensa do globo, contendo a maior reserva de espécies animais e vegetais e abrigando cerca de 25 % da biodiversidade global. O processo de desmatamento da Amazônia foi impulsionado pelas políticas de incentivo à agricultura na década de 1960, intensificou-se a partir da década de 1990 até 2004 convertendo essas áreas de floresta para pastagem e atualmente há um forte alerta da comunidade científica quanto aos riscos com o legado da preservação da floresta amazônica. O desmatamento altera as características físicas, químicas e biológicas dos solos, afetando a microbiota do solo e favorecendo a emissão de gases de efeito estufa, como o metano. O ciclo biogeoquímico do metano é alterado pela conversão do uso da terra, pois seus fluxos são regulados pela abundância, bem como pelas proporções das comunidades microbianas consumidoras (metanotróficas) e produtoras (metanogênicas) de metano nos solos. Tais vias bioquímicas de produção e consumo do metano também tem sido relacionadas com a abundância natural de ´13C-CH4 e ´2H-CH4 com objetivo de otimizar custos e aperfeiçoar o entendimento de processos bioquímicos. Atualmente, ainda pouco se sabe sobre como essas atividades antrópicas na Amazônia têm modelado as comunidades microbianas do solo, bem como os processos relacionados ao ciclo biogeoquímico do metano. Não há na literatura estudos no campo sob conversão de floresta para pastagem sobre as relações da assinatura isotópica do metano (´13C-CH4 e ´2H-CH4) com as comunidades microbianas no solo associadas a produção/consumo desse gás. O CENA/USP dispõe de infraestrura, equipamentos e itens de tecnologia de ponta para a execução deste projeto, que encontram-se em pleno funcionamento. O projeto (Proc. 2014/50320-4) tem como objetivo estudar as dimensões genéticas, taxonômicas e funcionais da biodiversidade microbiana em solos da bacia Amazônica. As atividades propostas pelo candidato a bolsa visam a capacitação para uso de equipamentos e processamento de amostras, realizando posteriores análises das comunidades microbianas no solo, fluxos de metano em experimentos no campo e controlados, e finalmente a quantificação de isótopos do gás metano.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.