Busca avançada
Ano de início
Entree

Triatoma vitticeps (Stal, 1859) (Hemiptera, Triatominae): uma espécie ou um complexo de espécies crípticas?

Processo: 19/09798-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Kaio Cesar Chaboli Alevi
Beneficiário:Isabella da Silva Masarin
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Entomologia médica   Triatominae   Triatoma   Fluxo gênico   Variação genética

Resumo

Triatoma vitticeps (Stål, 1859) é uma espécie endêmica do Brasil que apresenta importância vetorial na transmissão da doença de Chagas, pois existem relatos de adultos colonizando regiões domiciliares, bem como da captura de exemplares infectados com o protozoário Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) (agente etiológico da doença de Chagas) em residências. Análises da distância genética de genes mitocondriais 16S, Cyt b e COI de T. vitticeps provenientes de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo revelaram alta distância intraespecífica, o que acarretou na hipótese de que, possivelmente, T. vitticeps possa ser um complexo de espécies (ou subespécies) crípticas. Levando em consideração que a realização de cruzamentos experimentais pode auxiliar em diferentes aspectos, como no entendimento da taxonomia, sistemática e dos mecanismos de isolamento que limitam o fluxo gênico, assim como possibilita avaliar o papel da hibridação na geração de novas variantes genéticas (que podem levar à evolução adaptativa e/ou a fundação de novas linhagens evolutivas), o presente projeto tem como objetivo analisar se T. vitticeps representa apenas uma espécie ou um complexo de espécies crípticas, por meio de cruzamentos experimentais e análise dos híbridos resultantes até a segunda geração (F2), com ênfase na análise da dinâmica evolutiva dos cruzamentos experimentais (cópula, oviposição, eclosão e desenvolvimento dos híbridos), bem como na análise da viabilidade reprodutiva dos híbridos (espermatogênese e morfologia das gônadas masculinas e femininas).