Busca avançada
Ano de início
Entree

Via Wnt/beta-catenina em tumores adrenocorticais pediátricos

Processo: 19/08041-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Sonir Roberto Rauber Antonini
Beneficiário:Camila de Oliveira Toledo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/03989-6 - Mecanismos fisiopatológicos e moleculares de tumorigênese: abordagem baseada em plataformas de sequenciamento em escala genômica (NGS - Next-Generation Sequencing), AP.TEM
Assunto(s):Endocrinologia   Carcinoma adrenocortical   Transformação celular neoplásica   Mutação   beta Catenina   Expressão de proteínas

Resumo

Contexto: Estudos recentes têm demonstrado cada vez mais que a tumorigênese adrenocortical é um processo complexo que requer múltiplos eventos moleculares e que culmina em interações entre várias vias de sinalização intracelulares. A via de sinalização Wnt/Beta-catenina regula o desenvolvimento e a função adrenais normais e evidências clínicas e científicas crescentes têm indicado sua importância na tumorigênese adrenocortical. Esta via parece estar ativada tanto em tumores adrenocorticais (TAC) adultos quanto em TAC pediátricos. No entanto, os mecanismos pelos quais ocorre a ativação parecem ser diferentes nesses 2 grupos de tumores. Em um estudo que avaliou TAC de pacientes pediátricos brasileiros, foram pesquisadas mutações no gene CTNNB1, as quais foram encontradas e correlacionadas a um mau prognóstico. No entanto, ainda faltam estudos com tamanho amostral superior para confirmar esta importante correlação. Além disso, nos últimos anos, têm sido realizados estudos que utilizam sequenciamento genômico amplo (NGS), exômico e/ou transcriptoma, os quais ampliam o conhecimento sobre alterações genéticas e suas relações temporais na tumorigênese adrenocortical pediátrica. Esse conhecimento é importante, pois explica as falhas da quimioterapia convencional e, pode, futuramente, contribuir para o desenvolvimento de uma melhor classificação prognóstica e de terapias mais eficazes para TACs pediátricos. Objetivos: Avaliar em profundidade e de modo mais abrangente anormalidades da via Wnt/Beta-catenina, por meio da avaliação de anormalidades genéticas no gene CTNNB1 (Beta-catenina) e nos genes ZNRF3, APC, AXIN1 em TAC pediátricos, em uma coorte ampliada. Além disso, avaliar a associação entre mutações em CTNNB1 e o comportamento tumoral e desfecho clínico e a correlação da marcação de Beta-catenina total e ativada com as anormalidades genéticas encontradas. Indivíduos, Materiais e Métodos: Serão analisados os dados obtidos por meio de estudo de NGS de 72 tumores adrenocorticais pediátricos. Será realizado sequenciamento exômico, transcriptoma e validação por qPCR dos genes de interesse relacionados a via Wnt/Beta-catenina. Além disso, a expressão proteica será avaliada por meio de imunohistoquímica com marcação para Beta-catenina total e ativada. Verificaremos a existência de associação entre os dados clínicopatológicos com os resultados das análises genômica e transcriptômica.