Busca avançada
Ano de início
Entree

Comportamento coordenado e individual em duplas de ratos sob esquema de intervalo variável

Processo: 19/07027-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Deisy das Graças de Souza
Beneficiário:Letícia dos Santos
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50909-8 - INCT 2014: Comportamento, Cognição e Ensino (INCT-ECCE): aprendizagem relacional e funcionamento simbólico, AP.TEM
Assunto(s):Esquemas de reforço   Comportamento cooperativo   Reforço de intervalo variável   Água   Ratos

Resumo

O comportamento combinado de dois ou mais indivíduos está sujeito à seleção pelas consequências do ambiente, do mesmo modo que o comportamento operante individual. Estudos prévios utilizaram um procedimento de interdependência para a investigação da relação condicional resposta-reforço e dos efeitos do tipo de esquema de reforço sobre o comportamento coordenado. O laboratório em que este estudo será realizado, foi o primeiro a investigar o responder coordenado sob esquemas de reforço e estabelecer um programa para explorar os efeitos de diferentes esquemas. Um dos estudos investigou os efeitos da manipulação paramétrica em esquemas de razão-fixa (1, 6, 12, 18, 24, 30, 50 e 70), sobre o desempenho de duplas de ratos, sob duas condições, uma que requeria respostas temporalmente coordenadas dos dois membros da dupla e outra em que o reforçador era liberado para respostas individuais independentes (Condição Coordenada versus Individual). A função que relaciona a taxa de respostas ao tamanho da razão teve a forma de U invertido, tanto para respostas coordenadas quanto para as respostas dos sujeitos que trabalharam individualmente, replicando a função obtida com organismos individuais. Contudo, na condição que requeria coordenação, enquanto a proporção de respostas coordenadas se distribuiu de acordo com a função em U invertido (replicando a função para a taxa), respostas individuais que não atingiam o requisito de coordenação variaram assistematicamente. Os padrões de respostas coordenadas também replicaram os obtidos com organismos individuais: pausas pós-reforço foram tanto maiores quanto maior o valor da razão. O presente estudo foi planejado como uma replicação sistemática, visando explorar os efeitos da duração do esquema de intervalo variável (5s, 15s, 30s, 75s, 150s e 30s, nesta ordem), com o objetivo de ampliar o entendimento dos processos de seleção de respostas coordenadas entre ratos. Como no estudo anterior, serão comparadas condições com e sem o requisito de coordenação. Serão empregadas seis duplas de ratos, três para cada condição. A análise de dados terá como foco descrever: a) as funções que relacionam taxas totais e proporção de respostas coordenadas à duração dos intervalos; b) os padrões de respostas gerados pelo esquema de intervalo variável. Se o responder na condição de coordenação for sensível ao esquema, deverá ser observada uma função direta, negativamente acelerada e o padrão do responder será uma distribuição de respostas sem variações sistemáticas nas pausas pós-reforço, como função da duração do VI. (AU)