Busca avançada
Ano de início
Entree

Engenharia de película adquirida para proteção contra cárie e erosão dentária: efeito da cistatina, estaterina e hemoglobina no perfil proteômico da película adquirida, no biofilme bacteriano e no esmalte dentário

Processo: 19/08032-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Tamara Teodoro Araujo
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Bioquímica   Cárie dentária   Erosão dentária   Esmalte dentário   Cistatinas   Hemoglobinas   Biofilmes

Resumo

A presença da Película Adquirida do Esmalte (PAE) é um dos fatores protetores contra a erosão e cárie dentária. Dentre as proteínas da película adquirida com potencial para se ligar ao esmalte e propriedades ácido-resistentes, foram identificadas recentemente pelo nosso grupo a cistatina, a hemoglobina (Hb) e a estaterina. A modificação do perfil proteico da película adquirida pela incorporação de algumas proteínas pode interferir na colonização bacteriana inicial do biofilme, alterando sua estrutura. Portanto esta modificação parece ser promissora não apenas para o controle da erosão, mas também para o controle da cárie dentária, o que tem sido pouco estudado. Assim, os objetivos desta pesquisa serão: 1) avaliar a alterações no perfil proteômico da película adquirida do esmalte após tratamento in vivo com CaneCPI-5, peptídeo derivado da estaterina (Stn15pSpS) e hemoglobina, isolados ou em combinação (subprojeto 1); 2) avaliar as alterações no perfil do biofilme de microcosmo de esmalte por meio da contagem de Unidades Formadoras de Colônias (UFC) após tratamento com diferentes concentrações de CaneCPI-5, peptídeo derivado da estaterina (Stn15pSpS) e hemoglobina, isolados e depois em combinação (subprojeto 2); 3) comparar a porcentagem de bactérias vivas e mortas presentes no biofilme formado mediante os tratamentos descritos acima, por fluorescência utilizando microscópio confocal (subprojeto 2); 4) comparar a desmineralização do esmalte provocada pelo biofilme microcosmo submetido aos tratamentos descritos acima, por microrradiografia transversal (subprojeto 2); 5) avaliar as alterações nas bactérias colonizadoras iniciais do biofilme de microcosmo após o tratamento do esmalte com CaneCPI-5, peptídeo derivado da estaterina (Stn15pSpS) e hemoglobina, isolados ou em combinação, por análise microbiômica (subprojeto 3). Para a primeira etapa, será conduzido um estudo cruzado e triplo cego, constituído por 5 fases paralelas no qual os voluntários farão o bochecho com uma solução contendo cada uma das proteínas/peptídeos ou a combinação. A película será coletada e preparada para a análise proteômica. Para a segunda etapa do estudo, serão confeccionados blocos de esmalte bovino (4x4 mm), que serão divididos em grupos de acordo com o tratamento (CaneCPI-5, Stn15pSpS, hemoglobina, clorexidina ou PBS). Os espécimes serão então incubados em pool de saliva humana e saliva artificial de McBain para formação do biofilme de microcosmos. Serão realizadas as análises de UFC, microscopia confocal e microradiografia transversal. Para a última etapa, o biofilme de microcosmos será cultivado com os tratamentos previamente estabelecidos e então será realizada a análise microbiômica. As proteínas avaliadas poderão, no futuro, ser incorporadas em produtos odontológicos, como dentifrícios, enxaguatórios ou géis, visando ao enriquecimento da PAE com as mesmas e, consequentemente, ao aumento da sua capacidade ácido-resistente. (AU)