Busca avançada
Ano de início
Entree

Microbioma bacteriano de ectoparasitas, saliva e fezes de morcegos não hematófagos: uma abordagem metagenômica

Processo: 19/13232-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcos Rogério André
Beneficiário:Priscila Ikeda
Supervisor no Exterior: John Stephen Dumler
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Local de pesquisa : Uniformed Services University of the Health Sciences, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/14124-4 - Detecção e caracterização molecular de agentes Anaplasmataceae, Bartonellaceae e Mycoplasmaceae em quirópteros amostrados em região periurbana no Centro-Oeste brasileiro, BP.DR

Resumo

A ordem Chiroptera representa o segundo maior grupo de mamíferos do mundo e são apontados como reservatórios, hospedeiros e fonte de infecção para vários agentes com potencial zoonótico. Estima-se que 75% das doenças emergentes sejam zoonoses, das quais 22% compreendem doenças transmitidas por vetores. Portanto, devido à evidência de abundância de ectoparasitas em morcegos no Brasil e o papel desses mamíferos na Saúde Pública, é importante que se compreenda melhor a relação ecológica entre vetores, morcegos e agentes microbianos. Para isso, a metagenômica surge como uma importante ferramenta que pode ser usada para obter informações sobre patógenos e traçar o perfil de doenças e / ou surtos de doenças causadas por agentes infecciosos. Nosso grupo de pesquisa vem estudando a diversidade genética de agentes transmitidos por vetores em morcegos e seus ectoparasitos, focando principalmente nos agentes Bartonellaceae, Anaplasmataceae e Mycoplasmaceae. Embora esses agentes tenham sido comumente encontrados em estudos anteriores com microbiomas em outras regiões do mundo, pouco se sabe sobre as comunidades microbianas em ectoparasitos de morcegos e outras amostras do corpo, como saliva e fezes no Brasil. Como essas informações são escassas no noss país, o presente trabalho propõe avaliar a comunidade microbiana de ectoparasitos, saliva e fezes de morcegos não hematófagos coletados em região periurbana do centro-oeste brasileiro, utilizando ferramentas de sequenciamento de última geração.