Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanocompósitos híbridos de grafeno e MWCNT em blendas de PC/ABS para carcaça de componentes eletrônicos

Processo: 19/11130-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Fabio Roberto Passador
Beneficiário:Erick Gabriel Ribeiro dos Anjos
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotubos de carbono   Blendas   Nanocompósitos   Grafenos

Resumo

O desenvolvimento de materiais poliméricos para a aplicação da indústria de eletrônicos é um desafio, mas também é de grande importância estratégica para o crescimento desse setor no Brasil. A necessidade dessa indústria por materiais cada vez mais competitivos e com alto desempenho é crescente. Requisitos importantes compreendem leveza, facilidade de conformação e que apresentem blindagem eletromagnética (EMI SE). O policarbonato (PC) é um dos materiais mais aplicados nessa indústria para a produção de carcaças de componentes eletrônicos, no entanto, possui várias limitações por ser isolante elétrico. Visando ainda o aumento da resistência ao impacto desse material, fundamental para seu uso, o PC será misturado com o copolímero de acrilonitrila butadieno estireno (ABS). Para contornar essas limitações da blenda PC/ABS e se obter um material que possa ser utilizado em carcaças de componentes eletrônicos, este projeto propõe a preparação de nanocompósitos híbridos da mistura de grafeno (GNP) e nanotubos de carbono (MWCNT) como nanocargas para blenda polimérica. Essas duas nanocargas são alótropos de carbono que possuem as melhores propriedades elétricas e mecânicas entre os materiais conhecidos até o momento, e a adição da mistura dessas nanocargas em matrizes poliméricas pode resultar em melhoras muito significativas nas propriedades elétricas (condutividade elétrica), mecânicas (módulo elástico e resistência a tração), térmicas (estabilidade térmica) além de melhoras na resistência a radiação UV. O estudo está direcionado à processabilidade e à compatibilização dos componentes, por meio da utilização de técnicas, métodos e equipamentos de mistura. A viabilização da utilização desse novo material será realizada de acordo com as propriedades mecânicas, térmicas, elétricas e magnéticas. (AU)