Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação por meio de phage display com biblioteca sintética de cDNAs dos epítopos antigênicos de Schistosoma mansoni alvejados pela resposta imune de macacos Rhesus (Macaca mulatta) infectados pelo parasita e autocurados

Processo: 19/09404-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Sergio Verjovski Almeida
Beneficiário:Daisy Woellner Santos
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Parasitologia   Macacos rhesus   DNA complementar   Schistosoma mansoni   Phage display   Resposta imune   Técnicas de visualização da superfície celular   Vacinas

Resumo

A Esquistossomose, atualmente, é considerada a segunda principal Doença Tropical Negligenciada (DTN), estando presente em 78 países. Estima-se que no mundo cerca de 54 milhões de pessoas estejam infectadas pela espécie Schistosoma mansoni e 393 milhões vivendo em área de risco, sendo o praziquantel a única droga disponível para o tratamento dessa parasitose. O presente projeto de pesquisa busca identificar proteínas do parasita que sejam os alvos da resposta imune de macacos Rhesus infectados por S. mansoni, uma vez que nestes animais o curso da infecção inicia normalmente e, após um período de algumas semanas os macacos são capazes de autocurarem e desenvolverem uma forte resistência à um segundo desafio. Usaremos uma biblioteca sintética de oligos (cDNAs) que codificam todas as proteínas conhecidas do parasita. Para a biblioteca de oligos, fragmentos de todas as ORFs serão sintetizados pela técnica de releasable DNA microarray, totalizando aproximadamente 120.000 sequências que cobrem 13.000 genes codificadores de proteínas do parasita. Os fragmentos de proteínas codificados por estes oligos serão expressos como proteínas de fusão no capsídeo viral do bacteriófago PG8.2 pela técnica de phage display e o screening não-enviesado dos epítopos antigênicos será realizado pela exposição da biblioteca de fagos aos anticorpos presentes no plasma coletado ao longo da infecção e reinfecção (desafio) de cada um de 12 macacos rhesus infectados e autocurados. Os fagos ligados aos anticorpos do plasma serão imunoprecipitados e os seus insertos de cDNA serão sequenciados pela técnica de PhIP-Seq. Os resultados do sequenciamento serão analisados por ferramentas de bioinformática e correlacionados com o processo de autocura e resistência ao desafio, com a intenção de que sejam descobertos novos alvos candidatos vacinais para a Esquistossomose. (AU)