Busca avançada
Ano de início
Entree

Bergson no território da fenomenologia contemporânea. O caso de Renaud Barbaras (Bergson sur le territoire de la phénoménologie contemporaine. Le cas de Renaud Barbaras)

Processo: 19/11054-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Débora Cristina Morato Pinto
Beneficiário:Débora Cristina Morato Pinto
Anfitrião: Renaud Barbaras
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, França  
Assunto(s):Intencionalidade   Fenomenologia   Desejo   Metafísica

Resumo

Trata-se aqui de analisar a influência de Bergson sobre a fenomenologia de Renaud Barbaras. Examinaremos textos centrais a fim de destacar a convergência de intenções e de problemas escolhidos, enquanto exploramos as críticas do fenomenólogo ao realismo "positivista" de Bergson. A divergência metodológica está no centro das nossas análises: confrontando a intuição bergsoniana com a tentativa de seguir os preceitos do a priori correlacional, problematizaremos a passagem para a cosmologia a partir do desejo como intencionalidade originária, ponto central para Barbaras. Por outro lado, mostraremos que a filosofia de vida bergsoniana renova o estudo da existência através da caracterização do sujeito, da vida e do mundo como mobilidade. A relação entre vida subjetiva e totalidade em Bergson antecipa, portanto, a retomada do tema da abertura do sujeito ao mundo, que Barbaras realiza segundo a dinâmica da manifestação. Esta exposição incidirá sobre conceitos específicos: o corpo, a afetividade e motricidade que são inseparáveis da vida, aspectos cuja articulação condiciona a auto-superação da fenomenologia. Buscaremos também mostrar que estas noções desempenham um papel análogo no contexto de uma fenomenologia ontológica do desejo e de uma metafísica do tempo.