Busca avançada
Ano de início
Entree

Impulsionando avanços técnicos para a pesquisa em biologia do desenvolvimento de ascídias coloniais: transgênese e mutagênese em Botryllus schlosseri

Processo: 19/06927-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Pesquisador responsável:Federico David Brown Almeida
Beneficiário:Federico David Brown Almeida
Anfitrião: Stefano Tiozzo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Laboratoire de Biologie du Développement de Villefranche-sur-Mer (LBDV), França  
Vinculado ao auxílio:15/50164-5 - Células-tronco, brotação e a evolução da colonialidade em ascídias, AP.JP
Assunto(s):Células-tronco   Regeneração

Resumo

Por quase sessenta anos, ascídias coloniais (principalmente Botryllus schlosseri) têm sido usadas como modelos de laboratório para o estudo do origem dos cordados, incluindo a evolução do sistema imune e aloreconhecimento, bem como diferentes aspectos da biologia animal colonial, incluindo reprodução assexuada, brotamento (i.e. blastogénese), regeneração, ou transmissão e parasitismo de células tronco somáticas e germinativas adultas. Apesar da vasta quantidade de pesquisas sobre biologia do desenvolvimento em B. schlosseri, os protocolos para transgênese e mutagênese têm dificultado os estudos de regulação e função genica. As ascídias coloniais têm fertilização interna e criam seus embriões impedindo o fácil acesso aos ovos ou ao embrião de 1 célula para eletroporação e microinjeção. Para esta proposta, planejo gerar um protocolo para transgênese em ascídias coloniais por: (i) microinjeção da construção gênica diretamente em ovos da colônia ou embriões de 1 célula, e (ii) eletroporação de células-tronco germinativas circulatórias em extratos celulares de colônias; e planejo gerar linhas mutantes de ascídias coloniais por: (iii) uma triagem mutante de autofecundação, (iv) uma forward genetic screen baseada em ENU ou radiação, ou (iv) CRISPR para nocautes direcionados de genes. Pesquisas futuras e novas descobertas em biologia do desenvolvimento usando ascídias coloniais serão diretamente beneficiadas pelos avanços técnicos delineados nesta proposta. Para nosso conhecimento, esta é a primeira tentativa de gerar linhas transgênicas e mutantes estáveis para qualquer animal colonial, e o laboratório Tiozzo está atualmente na vanguarda do desenvolvimento dessas ferramentas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
JIMENEZ-MERINO, JUAN; DE ABREU, ISADORA SANTOS; HIEBERT, LAUREL S.; ALLODI, SILVANA; TIOZZO, STEFANO; DE BARROS, CINTIA M.; BROWN, FEDERICO D. Putative stem cells in the hemolymph and in the intestinal submucosa of the solitary ascidian Styela plicata. EVODEVO, v. 10, n. 1 NOV 25 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.