Busca avançada
Ano de início
Entree

Doença inflamatória intestinal: características fenotípicas e evolução em uma série de indivíduos adultos

Processo: 19/06817-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marchesan Rodrigues Kobayasi
Beneficiário:Felipe José Santaella
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Gastroenterologia   Doenças inflamatórias intestinais   Doença de Crohn   Proctocolite   Histopatologia   Sistemas computadorizados de registros médicos

Resumo

A doença inflamatória intestinal é uma entidade complexa que acomete o trato gastrointestinal de crianças, adultos e se manifesta clinicamente por diarréia muco-sanguinolenta, com importante comprometimento do estado geral dos pacientes. Compreende duas formas de apresentação, a doença de Crohn e a Retocolite ulcerativa. Ambas podem ser discriminadas por exame macroscópico na endoscopia e pelo exame histopatológico de biópsias ou peças cirúrgicas. Há poucas informações sobre sua etiologia e não se sabe por que alguns pacientes apresentam melhor resposta ao tratamento do que outros. Objetivos: Analisar os dados clínicos, anatomopatológicos e a evolução de uma série de indivíduos adultos com diagnóstico de doença de Crohn e retocolite ulcerativa. Métodos: Serão analisados retrospectivamente os dados clínicos e patológicos de 10 pacientes adultos com diagnóstico de Doença de Crohn e 10 pacientes com retocolite ulcerativa. As informações sobre o quadro clínico e dados demográficos serão obtidas por consulta ao prontuário digital dos pacientes. A análise histopatológica será feita em cortes histológicos de biópsias endoscópicas ou amostras de peças cirúrgicas corados pela Hematoxilina-Eosina, utilizando-se os critérios propostos pelo Consenso Europeu de Doença Inflamatória Intestinal de 2013. Espera-se com esses resultados obter melhor entendimento das características fenotípicas e de evolução dessas duas formas de doença inflamatória intestinal, que permanecem como desafio em Gastroenterologia.