Busca avançada
Ano de início
Entree

Estimação espacial das perdas não técnicas em sistemas de distribuição de energia elétrica

Processo: 19/04417-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Sistemas Elétricos de Potência
Pesquisador responsável:Lucas Teles de Faria
Beneficiário:Gustavo Estevo Felix
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rosana. Rosana , SP, Brasil
Assunto(s):Energia elétrica   Distribuição de energia elétrica   Perdas de energia   Redes neurais (computação)   Sistemas de apoio à decisão   Análise espacial

Resumo

As perdas não técnicas ou perdas comerciais oriundas principalmente de ligações irregulares ou clandestinas, furtos de energia, fraudes no medidor, autorreligações geram incontáveis prejuízos financeiros às distribuidoras de energia elétrica, à sociedade, à qualidade da energia, à confiabilidade das redes de distribuição, prejuízos à eficiência energética e diversos outros problemas. Essas perdas representam uma parcela das perdas globais na rede de distribuição de energia elétrica após serem descontadas as perdas técnicas. Inúmeros trabalhos anteriores concentraram-se na localização ou detecção pontual das perdas, ou seja, na determinação de quais unidades consumidoras estão realizando fraudes, por exemplo. Para esse fim em geral empregam técnicas de sistemas inteligentes ou soft computing - redes neurais, lógica fuzzy, mineração de dados e de texto. No entanto, o estudo das características do lugar onde ocorrem as perdas pode trazer informações relevantes para melhor compreensão do problema. Neste contexto adota-se nesse projeto uma nova abordagem ao problema das perdas complementar às existentes com enfoque na incorporação do estudo do espaço geográfico ao problema das perdas não técnicas. Utilizam-se técnicas de exploração de análise espacial de dados geográficos por áreas para produzir mapas temáticos que indicam as subáreas "quentes" da cidade, isto é, aquelas com maior probabilidade de incidência de perdas não técnicas. Além disso, avaliam-se quais características dessas subáreas podem estar favorecendo o aparecimento e a proliferação das perdas. Esses mapas são uma ferramenta de fácil e rápida interpretação e podem ser utilizados em conjunto com as ferramentas convencionais de detecção pontual das perdas como sistemas de apoio à decisão para determinar regiões prioritárias na cidade para combate e prevenção às perdas não técnicas.