Busca avançada
Ano de início
Entree

Curva de crescimento das emissões otoacústicas produto de distorção em escolares

Processo: 19/11961-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Renata Mota Mamede Carvallo
Beneficiário:Patricia Kimiko Kumagai
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Percepção auditiva   Curvas de crescimento   Limiar auditivo   Emissões otoacústicas   Crianças

Resumo

As emissões otoacústicas tem o objetivo de avaliar o funcionamento da cóclea principalmente das células ciliadas externas (CEE), auxiliando no diagnóstico audiológico de lesões cocleares. As Curvas de Crescimento entrada/saída fornecem informações sobre o limiar e os mecanismos não lineares dentro da cóclea que estão associados com as CCE. O processamento auditivo é a capacidade de transformar a energia acústica em informações para que ocorra a compreensão. Logo o processamento auditivo temporal refere-se à capacidade do indivíduo de perceber as mudanças nas características dos sons, tais como duração, intensidade, frequência e pausas entre os estímulos. Objetivo: Este trabalho tem o objetivo de analisar a diferença nos limiares de EOAPD, no perfil e na taxa de compressão das curvas de crescimento de EOAPD entre escolares com e sem alteração em testes de resolução temporal. Metodologia: Participarão do estudo 30 crianças na faixa etária de 8 a 12 anos, 15 com alteração em testes de resolução temporal e 15 sem queixas e sem alterações auditivas. Será realizada uma anamnese inicial, timpanometria com tom de sonda de 226Hz, reflexos acústicos nas frequências de 500 e 4000 Hz, audiometria tonal para pesquisa de limiar (dBNA) em frequências de 250 a 8000 Hz, teste de resolução temporal e, registro das emissões otoacústicas - produto de distorção (EOAPD), incluindo a função de curva de crescimento, bem como o limiar de EOAPD para três diferentes frequências de f2, respectivamente 2002, 3174, 4004 Hz. Os estímulos serão apresentados na intensidade de estímulo f2 (L2) variando de 20 a 65dB NPS em degraus de 3 dB e o nível de intensidade do estímulo f1 (L1) irá variar segundo a fórmula: L1= 0,4L2+39 dB. Os dados serão tratados estatisticamente, adotando-se nível de significância de 5%.