Busca avançada
Ano de início
Entree

Indução da quimiorresistência em células da linhagem de câncer de mama canino CF41 e sua relação com a PARP e seu inibidor

Processo: 19/11360-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Debora Aparecida Pires de Campos Zuccari
Beneficiário:Gabriela Karam Rebolho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Neoplasias em animal   Quimiorresistência   Poli(ADP-ribose) polimerase-1   Expressão de proteínas   Expressão gênica   Modelos animais de doenças

Resumo

O câncer de mama (CM) é o tipo tumoral com maior prevalência entre as mulheres e possui alta taxa de mortalidade, atribuída à falha na detecção precoce da doença e ausência de marcadores efetivos. Nos cães, cerca de 50% dos tumores mamários são diagnosticados como malignos. Desse modo, o CM canino compartilha muitas semelhanças com estes tumores em mulheres, o que os torna excelentes modelos para o estudo da biologia do câncer e testes de agentes terapêuticos. Sabe-se que, os protocolos de quimioterapia que proporcionam um tratamento adjuvante em cães ainda possuem aplicação limitada e a cirurgia ainda é o tratamento mais utilizado para essas pacientes. O CM canino é caracterizado pela alta heterogeneidade intra e intertumoral, assim denominadas pela coexistência de diferentes clones de células tumorais os quais podem ser formados a partir do crescimento desordenado com uma vascularização desigual, assim como pela exposição prolongada a medicamentos quimioterápicos. Essa exposição medicamentosa causa danos no DNA, e proteínas conhecidas como poli (ADP-ribose) polimerase (PARP) são responsáveis pela reparação desses danos. Dessa forma, por meio da alta expressão da proteína de reparo (PARP), as células tumorais podem se tornar quimiorresistentes, podendo levar a recidiva e metástase tumoral. Diante disso, uma alternativa inovadora é a utilização de inibidores de PARP (PARPi) como tratamento, que já são utilizados para o CM humano e, podem contribuir para diminuição de recidivas tumorais. Este estudo visa verificar a expressão gênica e proteica do PARP em células de linhagem tumoral canina (CF41) resistentes ou não e a eficiência do uso de PARPi (Olaparib) nas células controle e quimiorresistentes. As células serão cultivadas e expandidas, para em seguida serem induzidas à resistência por meio do tratamento com carboplatina 10 µM durante 2 a 3 semanas. Após o estabelecimento da quimioresistência tumoral, será realizado o Ensaio de Viabilidade Celular (MTT) que definirá a dose do medicamento para tratamento das células resistentes e não. A análise da expressão gênica e proteica do PARP das células após tratamentos será realizada pela técnica de PCR em tempo real e imunofluorescência, respectivamente. Finalmente, os resultados desse projeto poderão confirmar a importância da expressão da PARP nestas neoplasias em cadelas bem como elucidar os mecanismos de resistência em CM e propor um tratamento eficiente da recidiva tumoral.