Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência das condições hidrológicas sobre a disponibilização do arsênio em lagoas alcalinas do Pantanal de Nhecolândia

Processo: 19/14884-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Anne Helene Fostier
Beneficiário:Júlia Pepino Leister
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14227-5 - Mudanças climáticas e impactos ambientais em áreas alagadas (wetlands) do Pantanal (Brasil): quantificação, fatores de controle e previsão em longo prazo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Poluição da água   Poluentes da água   Arsênio   Sedimentos   Fitoplâncton   Zooplâncton

Resumo

Altas concentrações de Arsênio (As) foram encontradas nas águas das lagoas alcalinas da fazenda São Roque (Pantanal de Nhecolândia) coletadas na época de seca em outubro 2017 e setembro de 2018 (Richter et al., 2019). Porém, as concentrações deste elemento nas amostras coletadas em 2017 foram de 9 a 49 mais elevadas que nas amostras coletadas em 2018. Estas diferenças foram atribuídas à variação do nível da água nas salinas e consequente efeito de concentração ou diluição das soluções em razão do nível da água excepcionalmente baixo em 2017 e excepcionalmente alto em 2018. Nas duas campanhas de coletas foram também coletadas amostras de sedimentos, fito e zooplâncton. As baixas concentrações de As nas amostras de sedimentos coletadas em 2017 mostrou que não houve transferência significativa do As da coluna de água para o sedimento, provavelmente em razão 1) do alto pH que não favorece a adsorção do As(V) sobre as partículas em suspensão, 2) da competição por adsorção com outros aníons (como por exemplo HCO3- e F-) pelos sítios ativos no sedimento, 3) da presença de matéria orgânica dissolvida que pode favorecer a formação de complexos com ions As. Foi também observado taxas relativamente baixas de bioacumulação no fito e zooplâncton, as quais podem ser relacionadas com a baixa biodisponibilidade do As, pelo menos nas condições encontradas em 2017. Estamos pondo que as grandes diferenças de condições hidroquímicas encontradas entre as duas épocas de seca (2017 e 2018) poderiam influenciar a disponibilização do As e alterar significativamente tanto as concentrações de As nos sedimentos, quanto os fatores de bioacumulação no fito e zooplâncton. Este projeto visa, portanto, a verificar esta hipótese a partir da determinação da concentração de As total em amostras de sedimentos, fito e zooplâncton coletadas em setembro de 2018. Por outro lado, durante o estudo de emissão de metano (CH4) realizada por parte da equipe em 2018 e que aconteceu logo após um forte evento de chuva, "pulsos" de águas pretas provenientes do solo superficial foram observados. Suspeitou-se que a corre preta poderia ser ligada à presença de matéria orgânica dissolvida. Amostras de água do solo superficial foram, portanto, coletadas a proximidade das câmaras de coleta de gás com a finalidade de verificar o teor de carbono orgânico dissolvido (COD) e a possível relação COD/CH4 e COD/As nas mesmas, precisando ainda as amostras de água serem analisadas. Este projeto de Iniciação Cientifica visa, portanto, avaliar a influência do nível das águas sobre as concentrações do As em diferentes compartimentos (sedimento, fito e zooplâncton), bem como sobre os fatores de bioacumulação. Ele visa também a avaliar as possíveis relações entre COD/ CH4 e COD/As.