Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudanças na comunidade nitrificante e desnitrificante do solo após o uso de inibidor de nitrificação como estratégia de mitigação das Emissões de N2O provenientes da aplicação combinada de vinhaça concentrada e n mineral

Processo: 18/20698-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Heitor Cantarella
Beneficiário:Késia Silva Lourenço
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Ecologia microbiana   Óxido nitroso

Resumo

A adubação nitrogenada tem sido uma das principais fontes de emissão de gases de efeito estufa (GEE) para a atmosfera no cultivo da cana-de-açúcar, principalmente devido à emissão de óxido nitroso (N2O). Estudos recentes indicam que a aplicação de vinhaça (concentrada-VC e in natura), um subproduto da produção de etanol - especialmente com a adição de nitrogênio (N) - resulta em aumentos significativos nas emissões de N2O. Alternativas para reduzir essas emissões são necessárias porque o principal destino da vinhaça é o solo, onde recicla nutrientes e melhora a fertilidade. Uma forma de reduzir essa emissão é através da adição de inibidores de nitrificação (IN), porém, pouco se sabe sobre a eficiência dos INs quando o N mineral é misturado a vinhaça, além do impacto na comunidade microbiana do solo. Portanto, o objetivo deste projeto é avaliar a eficiência do IN, fosfato de 3,4-dimetilpirazole (DMPP), em reduzir as emissões de N2O quando o N mineral é aplicado juntamente com VC. Adicionalmente, o impacto da aplicação conjunta do IN, VC e N mineral na comunidade microbiana total do solo (bactéria, arqueia e fungo) e na comunidade nitrificante (bactéria e arqueia) e desnitrificante (bactéria e fungo) será determinado. A estratégia será testada em experimentos de campo colhidos no início e final da estação de colheita (estação seca e chuvosa) e em experimentos de laboratório. As doses de N e VC utilizadas serão de 120 kg ha-1 e 7 m3 ha-1, respectivamente. Será feita intensa amostragens de GEEs (CO2, CH4 e N2O), além de amostragem de solo para análise de NH4+, NO3-, pH e umidade. O DNA e RNA das amostras de solo serão extraídos com posterior amplificação e sequenciamento dos genes 16S rRNA (bactéria e arqueia total) e ITS (fungo total). Os genes ligados ao ciclo do N (amoA, hao, nxr, nirK, nirS, norB e nosZ) serão amplificado e quantificados determinado os processos responsáveis pela produção do N2O. Os resultados obtidos poderão ser utilizados para a definição de práticas sustentáveis de manejo durante a produção de etanol, além de melhorar a compreensão dos processos microbianos responsáveis pela produção de N2O e a identificação de tais microrganismos, e principalmente determinar a participação dos fungos desnitrificadores nas emissões de N2O em solos com cana-de-açúcar e palha na superfície do solo.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.