Busca avançada
Ano de início
Entree

Biossensor eletroquímico a base de papel para detecção do traumatismo cranioencefálico

Processo: 19/00166-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Lauro Tatsuo Kubota
Beneficiário:Patrícia Batista Deroco
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/22127-2 - Desenvolvimento de novos materiais estratégicos para dispositivos analíticos integrados, AP.TEM

Resumo

O traumatismo cranioencefálico (TCE) é considerado uma "epidemia silenciosa", é uma doença comum, mas desconsiderada em todo o mundo. Somente nos EUA todos os anos quase 1,5 milhão de pessoas são afetadas pelo TCE, causando sérios problemas de incapacidades e frequentemente levando a morte. O custo em torno deste problema é estimado em 4 bilhões de dólares anualmente, e é uma questões de causa sócio-econômica, já que está afetando principalmente pessoas jovens e profissionalmente ativas. Existe uma falta evidente de um método adequado para o diagnóstico de TCE, especialmente no caso do tipo conhecido como concussão cerebral, portanto, um sistema de detecção rápido, pequeno e portátil é necessário para acelerar o diagnóstico do paciente e evitar complicações graves. Neste contexto, o design de um novo dispositivo eletroanalítico, sensível e reprodutível, baseado em papel para detecção de traumatismo cranoencefálico em fluído cerebroespinhal e soro sanguíneo é proposto neste projeto. Sensores impressos em papel, modificados com nanoestruturas condutoras, como nanopartículas de carbono e metal, bem como dendrímeros de polímeros, serão fabricados usando-se um método preciso de jato de tinta. Esta abordagem permite diminuir significativamente o custo e simplicidade da fabricação. Após este passo, os receptores compatíveis com biomarcadores de TCE serão imobilizados na superfície do sensor para garantir a alta especificidade e reprodutibilidade. Depois da fabricação e caracterização por métodos espectroscópicos e microscópicos, as arquiteturas de eletrodos propostas serão aplicadas para a detecção eletroquímica de um ou vários marcadores no mesmo dispositivo. Esperamos obter um dispositivo confiável para detectar o TCE em diagnósticos de pacientes no local em todos os ambientes. Isso aumentará a qualidade de vida de muitas pessoas e trará um efeito socioeconômico positivo.