Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da sinalização da leptina no hipotálamo dorsomedial na permeabilidade das vias aéreas superiores durante o sono

Processo: 19/13249-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 15 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luiz Guilherme de Siqueira Branco
Beneficiário:Mateus Ramos Amorim
Supervisor no Exterior: Vsevolod Polotsky
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Johns Hopkins University (JHU), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/09878-0 - Efeito da estimulação vagal durante desafio imune por LPS em ratos normotensos e espontaneamente hipertensos, BP.PD
Assunto(s):Leptina   Apneia   Obesidade   Respiração

Resumo

A apneia obstrutiva do sono (AOS) é um distúrbio respiratório grave, caracterizado por obstrução periódica das vias aéreas superiores durante o sono, com eventual impacto nos sistemas cardiovascular, respiratório bem como em marcadores inflamatórios. A AOS e suas complicações respiratórias críticas podem estar associadas à síndrome da hipoventilação por obesidade. Estudos anteriores documentaram o papel da leptina, um hormônio produzido no tecido adiposo, como um potente estimulante respiratório. Evidencias experimentais indicam também que a leptina pode ser um candidato terapêutico promissor para o tratamento da AOS. Uma isoforma do receptor longo de leptina, LepRb, foi detectada no hipotálamo dorsomedial (DMH), um núcleo crítico que recebe informações de sistemas que monitoram a disponibilidade de alimentos. Uma grande propoção dos neurônios do DMH expressa o receptor de melanocortina 4 (MCR4) e, por essa razão, o MCR4 (+) no DMH é um alvo terapêutico altamente relevante para a AOS. No presente projeto de pesquisa, testaremos a hipótese de que a leptina regula a permeabilidade das vias aéreas superiores atuando no hipotálamo em um modelo experimental de AOS.