Busca avançada
Ano de início
Entree

Redes de aglomeração e colaboração para a economia cultural - uma comparação entre o trabalho criativo na Europa e na América do Sul

Processo: 19/13586-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação
Pesquisador responsável:Eduardo Vicente
Beneficiário:Karina Poli Lima da Cunha
Supervisor no Exterior: Morag Elizabeth Shiach
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Queen Mary University of London, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:16/20431-4 - Os aglomerados e as redes de colaboração para a economia da cultura: uma comparação entre o trabalho criativo no Brasil e Reino Unido, BP.PD
Assunto(s):Política cultural   Economia da cultura   Inovação   Economia criativa   Indústrias criativas

Resumo

A pesquisa de pós-doc "A aglomeração e colaboração na economia cultural - comparações en-tre os Hubs criativos no Brasil e no Reino Unido" (2016 / 20431-4 foi renovada pela FAPESP em abril de 2019 por mais um ano, e foi proposto uma ampliação do escopo inicial da pesquisa para os contextos da América do Sul e da Europa A hipótese inicial era de que o Campo de Produção Cultural e Criativa é constituído de dois subcampos: a) subcampo de produção cultu-ral. b) subcampo de produção de inovação. Nos últimos dois anos, fizemos 10 estudos de caso com Hubs Criativos localizados em São Paulo, Londres e Birmingham. O framework de Pierre Bourdieu (conceitos de campo, habitus e capital) foi utilizado como a categoria de análise através da qual foi possível reconhecer algumas diferenças entre os subcampos nas políticas públicas e culturais do Brasil e Reino Unido. O framework de Bourdieu, nesse sentido, foi útil para organizar a categoria de análise através da qual foi possível reconhecer algumas diferenças entre os subcampos do Reino Unido e do Brasil. Com essa categoria de análise, foi possível, também, reconhecer os perfis dos agentes que trabalham nos Hubs, a relação entre eles e a maneira como eles acessam o capital econômico, sua ideologia, interesses, trocas de capital e sua posição no campo de produção cultural e criativa. O objetivo do novo escopo é aplicar a mesma categoria de análise para desenvolver um estudo comparativo entre os Hubs Criativos na América do Sul (Brasil, Argentina e Colômbia) e Europa (Reino Unido, França e Portugal) e observar os Hubs em seus contextos regionais, nacionais e locais. Também propomos desen-volver uma análise comparativa entre os Hubs dos mesmos territórios localizados em Hackney Wick (Londres, Reino Unido) e Perus (São Paulo, Brasil) para observar os Hubs em um con-texto local e nacional. Durante esse estágio, poderemos coletar dados da análise local do terri-tório de Hackney Wick e coletar dados para analisar os Hubs Criativos europeus, que serão essenciais para fazer a comparação entre os Hubs Criativos dos diferentes continentes, bem como a comparação territorial proposta. Objetivamos também verificar a convergência ou se-paração entre os subcampos de produção cultural e de inovação circunscritos pelas políticas públicas do Reino Unido e do Brasil e finalizar a pesquisa com uma análise aprofundada entre os dois países.