Busca avançada
Ano de início
Entree

Biomarcadores moleculares e de neuroimagem que diferenciam pacientes que converteram para doença de Alzheimer

Processo: 19/13003-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Marcio Luiz Figueredo Balthazar
Beneficiário:Thamires Naela Cardoso Magalhães
Supervisor no Exterior: Charlotte Teunissen
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Amsterdam (UvA), Holanda  
Vinculado à bolsa:17/13906-9 - Preditores de neuroimagem funcional e estrutural da conversão de comprometimento cognitivo leve para demência da Doença de Alzheimer segundo a classificação AT(N), BP.DR
Assunto(s):Biomarcadores   Doença de Alzheimer   Comprometimento cognitivo leve   Neurociências

Resumo

A demência da doença de Alzheimer (DA) é uma doença neurodegenerativa caracterizada por atrofia progressiva do cérebro e declínio cognitivo. Embora a DA seja definida pela quantidade excessiva de placas neuríticas e emaranhados neurofibrilares, todo o processo neurodegenerativo é muito mais complexo e não totalmente compreendido. Os modelos mais aceitos de progressão da DA indicam que as mudanças fisiopatológicas começam décadas antes dos sintomas clínicos. Em termos clínicos, a demência da DA é precedida por uma possível fase prodrômica, chamada de comprometimento cognitivo leve (CCL). O desenvolvimento de biomarcadores mais sensíveis é essencial para um diagnóstico precoce e para surgimento de novas drogas, podendo ser essenciais para prevenir o processo neurodegenerativo. Nesse sentido, o foco da pesquisa diagnóstica de DA é aprofundar no estudo de biomarcadores moleculares em fases iniciais do declínio cognitivo. Um desafio técnico nessa área é descobrir biomarcadores plasmáticos não invasivos confiáveis e com alto valor preditivo de conversão para DA. No entanto, um grande desafio no desenvolvimento de biomarcadores sanguíneos é que as proteínas encontradas no cérebro refletem os mecanismos moleculares da DA em concentrações muito mais baixas no sangue do que no líquido cefalorraquidiano (LCR). Embora marcadores plasmáticos da DA, até o momento, não tenham sido biomarcadores confiáveis, novas tecnologias podem ajudar a resolver esse problema. O Quanterix-Simoa (single molecule array) HD-1 Analyzer é um método totalmente automatizado, com maior sensibilidade e precisão. Esta tecnologia pode melhorar a detecção plasmática de biomarcadores moleculares. Além disso, alterações moleculares também foram associadas aos biomarcadores de neuroimagem. Juntos, eles poderiam melhorar a precisão da previsão de conversão de CCL para demência. A principal questão do nosso projeto de pesquisa é: quais são os melhores biomarcadores (molecular e neuroimagem) para a predição de declínio cognitivo e conversão para demência entre pacientes com CCL? Para responder a essa pergunta, selecionamos biomarcadores bem estabelecidos e novos, potencialmente promissores, em diferentes processos fisiopatológicos da DA: a) ressonância magnética estrutural e funcional; b) LCR e análises plasmáticas altamente sensíveis de marcadores da DA (proteínas beta-amilóide (A²42) e t-Tau); c) análises de marcadores de disfunção sináptica no LCR (visinin-like protein 1 (VILIP-1) e neurogranina); e d) análises plasmáticas de possíveis marcadores inflamatórios (neurofilamento de cadeia leve (NFL), triggering receptor expressed on myeloid cells 2 (TREM2) e complemento c3).