Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do estresse social e não social agudo versus crônico sobre o medo social condicionado e o papel regulatório de neuropeptídeos em camundongos machos

Processo: 19/12526-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Fernando Morgan de Aguiar Correa
Beneficiário:Ivaldo de Jesus Almeida Belém Filho
Supervisor no Exterior: Inga D Neumann
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Regensburg, Alemanha  
Vinculado à bolsa:16/25502-7 - Efeitos cardiovasculares, comportamentais, neuroendócrinos e morfofuncionais evocados pelo estresse agudo por restrição em ratos: envolvimento da via ocitocinérgica, BP.DR
Assunto(s):Ocitocina   Vasopressinas   Autorradiografia

Resumo

O estresse é uma situação cotidiana e exige mudanças fisiológicas e comportamentais para restabelecer o equilíbrio homeostático. A exposição ao estresse pode causar respostas dependentes de estresse, incluindo respostas comportamentais e neuroendócrinas, como a ativação do eixo HPA e do sistema da ocitocina (OXT). A secreção de OXT no sangue tem sido observada em resposta a estressores psicológicos e sociais agudos, tais como restrição e situações de derrota social, acompanhadas por um aumento do comportamento relacionado à ansiedade e evitação social, respectivamente. O sistema OXT do cérebro é mais conhecido por suas ações ansiolíticas, protetoras do estresse e pró-sociais e pode, portanto, ser importante no enfrentamento do estresse social e não social, assim como ansiedade, esquiva social e medo social. Os efeitos comportamentais da OXT no contexto do medo social têm sido extensivamente estudados em um modelo animal de medo social, ou seja, medo social condicionado (SFC), que reproduz características que são exibidas por pacientes com transtorno de ansiedade social. No entanto, o impacto dos neuropeptídios relacionados como OXT e vasopressina (AVP) não foi estudado no contexto da SFC, apesar de seu envolvimento substancial na regulação da ansiedade. Com base nesses achados, pretendo investigar se (i) restrição e estresse de derrota social aumentam a vulnerabilidade ao SFC e podem prejudicar a extinção do medo social, e (ii) aumentar o impacto do estresse sobre o SFC usando estresse restrição repetido por 2 semanas ou 3 semanas de exposição ao alojamento de subordinação crônica de colônia. (iii) Em seguida, investigar se a OXT intracerebral pode reverter, enquanto o AVP é capaz de fortalecer os efeitos dos protocolos de estresse na aquisição e / ou extinção da SFC. Além disso, pretendo avaliar alterações na rede neuronal ocitocinérgica e vasopressinérgica envolvidas na interação entre estresse e SFC. Para isto, outros grupos de animais serão tratados com OXT ou AVP (intracerebroventricular; icv) antes do treinamento de extinção de SFC, o comportamento de extinção de medo social e parâmetros neuroendócrinos (ACTH, corticosterona, OXT, AVP) serão analisados. Além disso, a expressão dos receptores OXT e AVP cerebrais será avaliada por autorradiografia de ligação ao receptor.