Busca avançada
Ano de início
Entree

Sobre imagens e saberes: a Iconografia Fotográfica da Salpêtrière e a visualidade no Século XIX

Processo: 19/14693-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 21 de outubro de 2019
Vigência (Término): 24 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Heloísa André Pontes
Beneficiário:Ana Carolina Verdicchio Rodegher
Supervisor no Exterior: Charlotte Bigg
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Centre Alexandre Koyré (CAK), França  
Vinculado à bolsa:17/26354-4 - O olho clínico: Charcot e a conformação da imagem na produção da iconografia fotográfica da Salpêtrière, BP.MS
Assunto(s):Diagnóstico por imagem   Fotografia   Neurologia   Psiquiatria   Histeria

Resumo

O principal objetivo desta pesquisa é compreender como regimes de visualidade científicos, artísticos e de entretenimento estão imbricados na produção das imagens da Iconografia Fotográfica da Salpêtrière. Para tanto, utilizarei como recurso de investigação metodológica dois conjuntos de referenciais teóricos: 1- as bibliografias da história, filosofia e estudos visuais da ciência; 2 - a crítica feminista que trabalha com estudos de ciência e gênero e com a produção da diferença. Os materiais mobilizados para esta pesquisa, por sua vez, são compostos por duas frentes. A primeira, compreende o Fonds Numérisé Charcot, arquivo que abriga a Iconografia Fotográfica da Salpêtrière, principal fonte deste estudo. Já a segunda frente, engloba os arquivos da Bibliothèque de l'Académie Nationale de Médecine, a BIU Santé e a Bibliothèque Médicale Henri Ey du Centre Hospitalier Saint-Anne. Realizar um estágio em Paris durante seis meses é, portanto, condição essencial para a análise do material que fundamenta esta pesquisa de mestrado e para a ampliação de novas fontes que permitirão alcançar os objetivos centrais deste estudo; além disso, destaca-se a importância das trocas teórico-metodológicas com os pesquisadores do Centre Alexandre Koyré sob a supervisão da professora Charlotte Bigg.