Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da infecção por Vírus Chikungunya na atividade locomotora de fêmeas de Aedes Aegypti (Diptera: Culicidae)

Processo: 19/11152-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Tamara Nunes de Lima Camara
Beneficiário:Marcela Mori Menzato
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Febre de Chikungunya   Aedes aegypti   Vetores

Resumo

De modo geral, os insetos são caracterizados como diurnos, noturnos e crepusculares por restringirem suas atividades diárias, como voo, oviposição e alimentação, a determinados períodos do dia. Aedes aegypti Linnaeus, 1762 é considerado um mosquito diurno, com picos principais de atividade no amanhecer e no entardecer. Entretanto, algumas variações fisiológicas podem alterar a atividade dessa espécie, como inseminação, alimentação sanguínea e infecção por arbovírus. A grande importância do Ae. aegypti para a saúde pública recai no fato de ser considerado o principal vetor dos vírus dengue, chikungunya e Zika no Brasil e em outros países do mundo. Uma das formas de estudar a interação que ocorre entre vetor/patógeno é avaliando o efeito da infecção na atividade locomotora do mosquito e, apesar da importância, há uma enorme lacuna de conhecimento sobre o efeito da infecção por vírus dengue, Zika e chikungunya na atividade locomotora de Ae. aegypti. O objetivo desse projeto é avaliar, em condições de laboratório, o efeito da infecção pelo vírus chikungunya (CHIKV) na atividade locomotora de fêmeas de Ae. aegypti, sob 12 horas de claro e 12 horas de escuro (LD 12:12), a 25ºC. Os ovos dessa espécie serão colocados para eclodir e as formas imaturas serão criadas sob regime de LD 12:12, a 25ºC. Fêmeas adultas de Ae. aegypti serão individualmente infectadas, através da inoculação intratorácica, com solução contendo vírus chikungunya, numa concentração infectante para a fêmea. Fêmeas controle também serão injetadas intratoracicamente com o mesmo volume da mesma solução, mas sem a presença do vírus. O sistema de análise de atividade locomotora utilizado será o Drosophila Activity Monitor (Trikinetics) e, para quantificação da atividade, será utilizado o programa "DAMSystem data collection" que registrará, em intervalos regulares, o número de vezes que cada mosquito interromper o feixe de luz infravermelho. Todas as fêmeas que sobreviverem após a infecção com o vírus, além de algumas fêmeas vivas do grupo controle, serão armazenadas em freezer -80°C para posterior detecção viral por PCR.