Busca avançada
Ano de início
Entree

Glicerol bruto como precursor de éteres etílicos de glicerol em condições atmosféricas

Processo: 19/12056-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Fábio Rodolfo Miguel Batista
Beneficiário:André Luiz da Silva Carvalho
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Assunto(s):Processos químicos   Planejamento fatorial   Biodiesel   Catalisadores   Transesterificação   Éter etílico   Glicerol

Resumo

Esse projeto tem por objetivo a utilização do glicerol, puro e oriundo da reação de transesterificação, para a produção de éteres etílicos de glicerol. Tendo em vista que o glicerol é o principal subproduto da produção de biodiesel, com uma proporção, em média, de 10 m3 de glicerol para cada 90 m3 de biodiesel, e que a disponibilidade por esse poliol tende a aumentar substancialmente nos próximos anos, especialmente devido ao maior incentivo à produção e consumo do biodiesel, uma destinação economicamente viável para este glicerol se faz necessária, objetivando o fechamento da cadeia produtiva do biodiesel. Dentre essas destinações, a produção de óxido de zinco nanoparticulado pela rota glicerol-ureia (GU) e a produção de éteres etílicos de glicerol, despontam-se como dois bons caminhos. Especialmente no que tange à produção de éteres etílicos de glicerol, foco desta proposta, pretende-se desenvolver uma rota reacional que viabilize a produção desses compostos em condições de temperatura moderadas e pressão atmosférica. O estudo será conduzido através de um planejamento fatorial 23 no qual será estudada a influência da temperatura, porcentagem de catalisador e razão mássica etanol/glicerol, sobre a conversão do glicerol puro (padrão PA) e também daquele oriundo da reação de transesterificação. Para a catalise do processo serão investigados três tipos de resina ácida, sendo duas comerciais (Amberlyst 36 e Purolite CT 275) e uma desenvolvida pelo grupo de pesquisa. Por fim, o glicerol bruto será utilizado como fonte de glicerol para o processo de eterificação, investigando a viabilidade da utilização desse resíduo.