Busca avançada
Ano de início
Entree

Extração de óleo de soja utilizando misturas de álcoois e triacetina como solventes

Processo: 19/14778-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Christianne Elisabete da Costa Rodrigues
Beneficiário:Leticia Ayres de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/21252-0 - Equilíbrio e processos de produção de biocombustíveis e bioprodutos, AP.TEM
Assunto(s):Extração de líquidos   Equilíbrio de fases   Solventes   Valor nutritivo   Óleo de soja   Etanol   Triacetina

Resumo

O solvente industrialmente empregado para extração de óleos vegetais, uma mistura de isômeros do hexano denominada industrialmente hexana, apresenta alta estabilidade e capacidade de extração, porém este solvente apresenta como principais desvantagens a alta toxicidade, inflamabilidade e grande capacidade poluidora quando não recuperado da maneira adequada. Devido aos potenciais riscos à saúde e ao meio ambiente associados à utilização da hexana, diversos solventes alternativos têm sido estudados com destaque para o etanol, em função de sua menor toxicidade, pois possui o rótulo de substância GRAS (Generally Recognized As Safe), além de segurança operacional superior e grande produtividade a baixo custo no Brasil. Por apresentarem maior polaridade, os solventes alcoólicos são capazes de extrair maior quantidade de material insaponificável da matriz sólida aumentando-se, assim, o valor nutricional dos óleos. No entanto, o etanol é parcialmente miscível com óleos vegetais à temperatura ambiente, o que implica no uso de maior quantidade de etanol, quando comparado ao hexano, para extrair a mesma quantidade de óleo vegetal de uma matriz sólida. A utilização de vazão de etanol cerca de 280 % maior que a vazão de hexano pode comprometer a viabilidade do processo de extração de óleo com o solvente alternativo renovável, desta forma, diversos autores têm proposto formas de intensificação do processo, tal como a adição de co-solventes ao etanol. Este projeto de iniciação científica tem como objetivo avaliar a utilização de triacilgliceróis de cadeia curta, tal como a triacetina, como co-solvente do etanol no processo de extração de óleo de soja. Será avaliado o impacto da adição de triacetina ao etanol sobre o rendimento de extração, coeficiente de partição do óleo e sobre as funcionalidades da fração proteica desengordurada a partir da determinação do índice de solubilidade de nitrogênio.