Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biossensor para câncer de ovário baseado na técnica de SPRi

Processo: 19/06803-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Dayane Batista Tada
Beneficiário:Erenildo Ferreira de Macedo
Supervisor no Exterior: Yanxia Hou-Broutin
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Commissariat à l'énergie atomique et aux énergies alternatives, Grenoble (CEA), França  
Vinculado à bolsa:16/07354-0 - Desenvolvimento de biossensor para biomarcadores de Câncer de ovário baseado na técnica de SPRi, BP.DR

Resumo

O câncer de ovário é atualmente o câncer ginecológico mais letal do mundo. Este câncer geralmente não apresenta sintomas que levem ao diagnóstico tardio e à baixa sobrevida dos pacientes (sobrevida global em cinco anos menor que 40%). No Brasil, o câncer de ovário é a 8ª malignidade mais comumente diagnosticada. Dessa forma, é essencial buscar métodos capazes de identificar a doença nos estágios iniciais. Hoje, um dos primeiros testes realizados no processo de investigação do câncer de ovário é a análise do soro para pesquisar a presença da proteína CA-125 em níveis elevados. Entretanto, resultados falso-negativos são recorrentes para esse marcador e, em muitos casos, os níveis aumentados de CA-125 são observados em pacientes apenas quando o câncer já está avançado. Recentemente, vários estudos abordaram outro possível marcador para o câncer de ovário, a mesotelina protéica. Estudos associaram a superexpressão de mesotelina ao câncer de ovário, mas apesar do grande número de pesquisas neste tema, a análise dessa proteína no soro de pacientes com suspeita de câncer ainda não faz parte do protocolo médico. Além dos níveis séricos, a mesotelina também é usada como marcador para análise imunohistológica do tecido tumoral. Embora o câncer ovariano apresente níveis elevados de mesotelina, ele também pode ser encontrado no aumento dos níveis séricos de outras displasias não associadas ao câncer. Portanto, a análise individual dos níveis séricos de CA-125 e mesotelina não pode ser considerada como um método diagnóstico de alta especificidade para o câncer de ovário. No entanto, estudos recentes indicaram que a interação entre CA-125 e mesotelina desempenha um papel fundamental na metástase do câncer de ovário para o peritônio. Assim, a superexpressão simultânea de mesotelina e CA-125 pode estar especificamente associada ao câncer de ovário. Por este motivo, este projeto visa desenvolver um biossensor capaz de detectar mesotelina e CA-125 simultaneamente e em baixas concentrações. O biossensor é baseado na técnica de ressonância de superfície de plasma (SPR). O biossensor será preparado com anticorpos anti-mesotelina (MAb) 5B2 e / ou (MAb) OV569 e anticorpo anti-CA125 OC-125. Para aumentar a sensibilidade do biossensor serão utilizadas nanopartículas (NPs) de ouro funcionalizadas com proteínas recombinantes mesotelina e CA-125. Estes NPs serão misturados com o soro antes da análise no sensor. Os NPs são usados como coletores de biomarcadores séricos, aumentando assim a concentração dos analitos na superfície do sensor. Além do aumento do sinal devido ao aumento da concentração do analito, os NPs devem aumentar a sensibilidade do sensor pelo acoplamento de elétrons no efeito da ressonância plasmônica. Assim, espera-se obter um método rápido de diagnóstico para câncer de ovário precoce e estender as aplicações do método SPR com NPs para outros tipos de doenças.