Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de formulações de saliva artificial e aplicação de fluoretos sobre o desenvolvimento de cárie radicular em modelo de biofilme microcosmo simulando pacientes submetidos à radiação de cabeça e pescoço

Processo: 19/07241-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Ana Carolina Magalhães
Beneficiário:Beatriz Martines de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Cárie radicular   Cariologia   Dentina   Biofilmes   Fluoretos tópicos

Resumo

A cárie de radiação é um dos efeitos adversos encontrados em pacientes submetidos à radioterapia na região de cabeça e pescoço. O primeiro objetivo deste trabalho será verificar a influência de biofilme de paciente irradiado e/ou do dente que sofreu radiação no desenvolvimento da cárie radicular assim como testar novas formulações de salivas artificiais em relação à prevenção da cárie radicular nestas situações in vitro (etapa 1). O segundo o objetivo será definir, in vitro, o melhor agente fluoretado para prevenção da cárie radicular comparando diferentes produtos destinados à aplicação profissional. Para etapa 1, serão utilizadas 576 amostras de dentina radicular bovinas irradiadas (70 Gy) e não irradiadas divididos em subgrupos de acordo com: 1) tipo de biofilme humano utilizado para formação do biofilme microcosmo (biofilme de paciente irradiado e não irradiado) e 2) tipo de saliva artificial utilizada para tratamento deste paciente (6 formulações destacando as experimentais que contêm cistatina da cana de açúcar e hemoglobina). Para a etapa 2, 180 amostras de dentina bovina irradiada serão tratadas com um dos agentes fluoretados (verniz TiF4 a 4%; verniz NaF a 5,42%; verniz placebo; solução SDF 30% e sem tratamento) e submetidas à formação do biofilme microcosmo. O biofilme microcosmo será formado por 5 dias, utilizando saliva de McBain com sacarose a 0,2%, a 37o C e 5% CO2. As variáveis de resposta referentes à análise do biofilme serão: viabilidade bacteriana e biovolume de polissacarídeo extracelular por fluorescência utilizando kits específicos e microscópio confocal (etapas 1 e 2); contagem de UFC para microrganismos totais, Estreptococos totais, Streptococcus mutans e Lactobacilos totais (etapas 1 e 2); e quantificação da produção de ácido lático utilizando kit da desidrogenase lática e leitora de microplaca (etapa 2). A desmineralização será quantificada por microradiografia transversal (etapas 1 e 2). Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística (p<0,05).