Busca avançada
Ano de início
Entree

Esteroidogênese na prole de ratos submetidos à restrição proteica materna: avaliação de microRNAs/mRNAs responsivos ao estrógeno e estudos funcionais na próstata

Processo: 18/26120-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Luiz Marcos Frediani Portela
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Reprodução   MicroRNAs   Desenvolvimento fetal

Resumo

A exposição a condições adversas em períodos críticos do desenvolvimento, como a gestação e lactação, podem acarretar alterações morfofuncionais irreversíveis no feto, sendo esse fenômeno conhecido como Programação Fetal (PF). Modelo extensamente utilizado em PF, a restrição proteica materna (RPM), é responsável por baixo peso ao nascimento e desenvolvimento de alterações sistêmicas na vida adulta. Trabalhos recentes do nosso grupo de pesquisa demonstraram que a RPM leva ao atraso no desenvolvimento da próstata em ratos jovens, ao aumento na razão estrógeno/andrógeno, e maior incidência de lesões prostáticas com o envelhecimento. Porém, os mecanismos moleculares que relacionados ao desequilíbrio hormonal e suas repercussões prostáticas ainda não foram esclarecidos. Dessa forma, os objetivos desse projeto serão: 1) avaliar o perfil da biossíntese dos hormônios esteroides (estrógeno e testosterona) na próstata e os tecidos com atividade esteroidogenica (testículo, fígado e cérebro), da prole de ratos submetidos a RPM, no dia pós natal 21 (DPN 21); 2) Associar estes dados à alteração de microRNAs/mRNAs responsivos ao estrógeno na próstata ventral (PV). Para isso, ratos Sprague Dawley nascidos de mães alimentadas com ração normal (17% de proteína, grupo CTR) ou com ração hipoproteica (6% de proteína, grupo RPGL) durante a gestação e lactação serão utilizados. Os animais serão eutanasiados no DPN21, e as PVs, testículo, fígado e cérebro serão coletados e armazenados em nitrogênio liquido. Serão avaliados a expressão gênica de enzimas da via esteroidogenica por RT-qPCR; os hormônios e metabólitos intermediários serão dosados no sangue por ELISA; análises imuno-histoquímicas na PV para os receptores androgênicos (AR) e estrogênicos (ER± e ER²). Os níveis de expressão do miR33-5p (previamente selecionado a partir de dados de sequenciamento) serão validados em amostras da PV de ratos. Este microRNA também será alvo de estudos funcionais a partir do tratamento de células prostáticas humanas normais da linhagem PNT-2 tratadas com estrógeno. Ensaios com moléculas inibidoras e miméticas do microRNA 33-5p também serão empregados. Neste caso, serão selecionados genes alvos deste microRNA para validação por RT-qPCR. Estes estudos irão auxiliar o entendimento dos mecanismos da ação estrogênica sobre a próstata de ratos submetidos a RPM. Este projeto se insere na linha de pesquisa vigente do responsável (FAPESP 2017/01063-7).