Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do óleo de girassol ozonizado na cicatrização de feridas cutâneas em membros de equinos

Processo: 19/12422-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Marcos Jun Watanabe
Beneficiário:Maria Fernanda Yamashita Barbosa da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia veterinária   Cicatrização   Ferimentos e lesões   Óleo de girassol   Reparo tecidual   Equinos   Exame físico   Testes hematológicos

Resumo

O presente estudo visa avaliar o efeito cicatrizante do óleo ozonizado em membros de equinos, frente ao desafio perante a predisposição dessa região a formar tecido de granulação exuberante. Serão induzidas três feridas cutâneas em metacarpo esquerdo e direito de equinos, e serão comparados três tratamentos: óleo de girassol ozonizado, óleo de girassol, e soro fisiológico. Para tal, serão utilizados seis equinos adultos, sem raça definida, do plantel de equinos da FMVZ - UNESP Botucatu. A higidez dos animais será avaliada através de exame físico e exames de sangue. Previamente à fase experimental, os animais serão medicados com ivermectina via oral e deltametrina por aspersão. Para a indução das feridas, o equino será contido em tronco, sedado e anestesiado com protocolo anestésico adequado. A região dos membros a ser incisada passará por tricotomia e antissepsia rigorosa. Para cada lesão, serão realizadas incisões quadriculares, com bisturi, de 17 mm x 17 mm. Todas as feridas, independente do tratamento, serão lavadas com NaCl 0,9% e protegidas por uma bandagem. No pós-operatório será administrado soro antitetânico e flunixin meglumine para analgesia. Os tratamentos serão repetidos diariamente, até a cicatrização completa das lesões, assim como o exame físico e a avaliação macroscópica da evolução da cicatrização das lesões. O membro torácico esquerdo e o direito serão biopsiados em momentos diferentes. As biópsias serão realizadas com o mesmo protocolo anestésico definido para a cirurgia de indução das feridas. Os fragmentos serão coletados com bisturi. As amostras serão encaminhadas para um laboratório com serviço de histopatologia e será observada a formação de fibrose, organização de colágeno, hiperplasia epitelial, angiogênese e inflamação.