Busca avançada
Ano de início
Entree

Zonas de cisalhamento Brasilianas/Pan-Africanas no cinturão Kaoko e conexões com a América do Sul: evolução neoproterozóica e reativações fanerozoicas

Processo: 19/06838-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Mario da Costa Campos Neto
Beneficiário:Mathias Hueck
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03737-0 - O Cráton Rio de la Plata e o Gondwana Ocidental, AP.TEM

Resumo

Este projeto tem como objetivo contribuir para o entendimento da evolução tectônica e geodinâmica da porção sudoeste de Gondwana, desde sua amalgamação no Neoproterozoico ao rifteamento no Cretáceo. Para tal, a pesquisa focará na atividade tectônica de longo prazo em um conjunto de zonas de cisalhamento no Cinturão Kaoko, no noroeste da Namíbia. A história deformacional dessas estruturas durante a orogênese Brasiliana/Pan-africana será reconstruída usando uma combinação de métodos geocronológicos, incluindo análises de U-Th-Pb em zircão e monazita, e análises de K-Ar e Ar/Ar em amfibólio, muscovita, biotita e frações finas de ilita. A pesquisa geocronológica será baseada em uma análise estrutural detalhada em escala de campo e microscópica, a fim de comparar a evolução térmica dessas estruturas com os principais eventos regionais no cinturão. Os resultados serão então comparados com outras unidades tectônicas equivalentes no Sul da África e na América do Sul, a fim de refinar o modelo tectônico de amalgamação do Sudoeste de Gondwana. Um segundo objetivo do projeto é avaliar o impacto da reativação destas mesmas zonas de cisalhamento durante a evolução Fanerozoica da área, em particular durante o período de aprox. 400 Mas entre a orogênese Neoproterozoica e a abertura do Oceano Atlântico no Cretáceo. Para atender este objetivo, serão aplicados diversos métodos termocronológicos, com um foco especial no intervalo de temperaturas de 300-100°C, buscando datar atividades em zonas de falha de maneira direta (por meio de K-Ar em ilitas de argilas de falha) e indireta, com a reconstrução de histórias térmicas em blocos adjacentes (por meio de Ar-Ar em K-feldspato e (U-Th)/He em zircão, titanita, rutilo e apatita). A partir da combinação destes métodos, será avaliado de maneira robusta o impacto da atividade de falhas na exumação e em outros processos de superfície. Finalmente, a história tectono-térmica de longo prazo dessas zonas de cisalhamento, e seu impacto na exumação regional, serão contextualizados e comparados com a evolução de unidades correlatas na África e na América do Sul, estabelecendo, desta forma, correlações ao longo do Sudoeste de Gondwana.