Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vivo da migração local de íons bismuto e silício presentes em cimentos reparadores em contato com tecido conjuntivo e ósseo

Processo: 19/04141-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Marina Angélica Marciano da Silva
Beneficiário:Tamires Melo Francati
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ratos   Bismuto   Cimento de silicato

Resumo

Procedimentos reparadores apresentam uma grande importância na Endodontia. O tratamento conservador permite a manutenção dos dentes em condições funcionais, prevenindo futuras alterações oclusais e perdas ósseas. Com este objetivo, o agregado trióxido mineral (MTA) tem sido amplamente utilizado. Após a aplicação desses materiais, o hidróxido de cálcio é produzido durante a presa do material e os íons cálcio interagem com os fluidos provenientes do tecido conjuntivo ósseo. A composição do MTA consiste em silicato tricálcio, silicato dicálcio, aluminato tricálcio e óxido de bismuto (BiO) como radiopacificador. A presença de BiO implica na migração de tais componentes para os tecidos adjacentes. O objetivo do estudo é avaliar a migração e o acúmulo local de íons bismuto e silício após contato com tecido subcutâneo e ósseo. Um total de 64 animais serão divididos em 6 grupos experimentais, de acordo com os materiais a serem implantados e o sítio de aplicação. Serão implantados cimentos em subcutâneo (n = 30) e fêmur (n = 30) e, de acordo com o cimento, silicato tricálcio (TCS) (n = 10), ProRoot MTA (TCS-BiO) (n = 10), hidroxiapatita (HAp) com 20% de substituição de BiO (HAp-BiO) (n = 10) e um grupo controle negativo, sem implantação (n = 4). Duas amostras com 2 x 4 mm, do mesmo material, serão implantadas no subcutâneo e em cavidades com mesmas dimensões no fêmur de cada animal. Após 30 dias, metade dos animais (n = 32) será sacrificado e os demais após 180 dias (n = 32). Os cimentos implantados juntamente com os tecidos adjacentes (subcutâneo e fêmur) serão coletados para análise. Os cimentos implantados serão analisados utilizando difratometria de raios-X (XRD) para determinação da interação química com tecidos. Para os tecidos adjacentes será utilizada microscopia eletrônica de varredura (MEV) e mapeamento local de elementos químicos (EDS) presentes após o contato com os cimentos. Os resultados serão submetidos à análise estatística apropriada com nível de significância de 5%.