Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação toxicogenética do dissulfeto de dialila associado ao agente quimioterápico sorafenibe: investigação de morte celular e expressão de proteínas em células hepáticas humanas in vitro

Processo: 19/08348-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Lusânia Maria Greggi Antunes
Beneficiário:Ana Rita Thomazela Machado
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicogenética   Genotoxicidade   Autofagia   Carcinoma hepatocelular   Dissulfetos   Quimioterápicos   Sorafenibe   Morte celular   Expressão de proteínas   Hepatócitos

Resumo

O Carcinoma Hepatocelular é um dos tipos de Cânceres mais comuns em adultos. O sorafenibe é o único fármaco disponível na clínica nos estágios avançados da doença, mas muitos pacientes exibem progressão tumoral durante a quimioterapia o que impulsiona a busca por novos tratamentos. A ocorrência da doença pode ser reduzida e/ou seu desenvolvimento controlado por meio de efeito sinérgico de compostos bioativos da dieta e fármacos tradicionais. Muitas evidências sugerem os compostos bioativos da dieta como promissores no tratamento do Câncer, como o dissulfeto de dialila, composto organosulfurado do alho que exerce atividade antitumoral em certos tipos de Câncer. Assim, o objetivo deste trabalho é avaliar os efeitos do dissulfeto de dialila isolado e associado ao quimioterápico sorafenibe, sobre a resposta em células tumorais de Carcinoma Hepatocelular (HepG2). Serão realizados ensaios de citotoxicidade e viabilidade celular, morte celular por apoptose e autofagia, migração e invasão celular, genotoxicidade e expressão de proteínas relacionadas com a resistência à morte celular (BAX e BCL2), à invasão e migração celular (CTNNB1, MMP2 e CDH1), à inativação de supressores tumorais (MYC) e à proliferação celular (RELA). por meio de western blot. Esse projeto também pretende contribuir para a identificação de um evento molecular inicial (molecular initiating event) relacionado com a resposta das células HepG2 aos tratamentos com o dissulfeto de dialila de acordo com a avaliação de Caminho de Resultados Adversos (Adverse Outcome Pathaway - AOP), sendo que a avaliação de morte celular é um dos eventos iniciais propostos para o AOP do Carcinoma Hepatocelular. (AU)