Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da exposição lactacional ao antidepressivo venlafaxina: repercussão tardia em parâmetros reprodutivos e comportamentais, em ratos machos

Processo: 19/02902-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Arielle Cristina Arena
Beneficiário:Suyane da Silva Moreira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Depressão pós-parto   Ratos

Resumo

A prevalência global de depressão pós-parto é estimada em 100-150 casos a cada 1000 nascimentos, e um dos medicamentos mais indicados para o tratamento é a Venlafaxina, um Inibidor da Recaptação da Serotonina e Noradrenalina (IRSN). Como a serotonina possui papel chave no desenvolvimento do cérebro, estudos demonstram que a exposição pré e pós-natal aos ISRSs pode alterar os eixos hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA) e gonadal (HHG) e afetar processos dependentes de hormônio, como o processo de diferenciação sexual hipotalâmica. Em virtude da importância da testosterona no processo de diferenciação sexual hipotalâmica, torna-se preocupante o uso de antidepressivos durante a gestação e lactação. Desta forma, objetiva-se, neste estudo, avaliar os possíveis efeitos resultantes da exposição lactacional a venlafaxina e suas repercussões tardias sobre parâmetros reprodutivos, em ratos machos. Para tanto, ratas lactantes serão expostas a três doses de venlafaxina (7,5; 37,5 ou 75 mg/kg), via gavage, do 1º dia até o 20º dia pós-parto. Após o nascimento, os filhotes machos serão avaliados através dos seguintes parâmetros: determinação do peso corporal, distância anogenital, idades de separação prepucial e descida testicular e play behavior. Na vida adulta, estes mesmos animais serão investigados em relação ao: pesos de órgãos reprodutores, contagem espermática, morfologia e motilidade espermática, dosagem hormonal, análise histopatológica do testículo, epidídimo, hipófise e hipotálamo, contagem de células de Sertoli e de Leydig, comportamento sexual, preferência sexual e teste de fertilidade. O presente estudo, além de proporcionar oportunidade de formação de recursos humanos qualificados, poderá gerar informações importantes para a implementação de políticas governamentais de saúde pública que visem um maior controle da utilização dessa classe medicamentosa na gestação e no período de amamentação.