Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação das proteínas LMP1 e RPMS1 do vírus de Epstein-Barr (EBV) na regulação de genes codificadores de proteínas de checkpoint imunológico em células humanas cultivadas in vitro

Processo: 19/14324-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Deilson Elgui de Oliveira
Beneficiário:Alison Felipe Bordini Biggi
Instituição-sede: Instituto de Biotecnologia (IBTEC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Imunobiologia   Progressão tumoral

Resumo

Baseado em dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), em todo mundo são estimados 2 milhões de novos casos de cânceres relacionados a infecções por microrganismos. A maior parcela da população mundial adulta apresenta infecção latente pelo vírus de Epstein-Barr (EBV), reconhecida como potencialmente cancerígena para humanos. Esse vírus é encontrado nas células neoplásicas de virtualmente todos os casos da forma endêmica africana do linfoma de Burkitt e do carcinoma indiferenciado de nasofaringe. Adicionalmente, a infecção pelo EBV também está associada ao desenvolvimento de parcela de outros cânceres, especialmente linfomas. A fase latente do ciclo biológico do EBV é caracterizada por restrição na expressão de alguns produtos virais, o que favorece sua imunoevasão e infecção persistente no hospedeiro. Por outro lado, a expressão de alguns genes do EBV durante o ciclo latente viral pode efetuar regulação de checkpoints imunológicos, indicando que o EBV também pode beneficiar a carcinogênese por esse mecanismo. Há alguns indícios de ação da oncoproteína viral LMP1 na expressão de PD-L1 e CTLA-4, mas pouco se sabe sobre sua eventual atividade na expressão de outras moléculas importantes para regulação da ação de linfócitos e seus potenciais efeitos para a linfomagênese associada ao EBV. Adicionalmente, são escassos os dados sobre outros produtos virais do EBV na regulação de checkpoints imunológicos, incluindo a proteína viral RPMS1. Assim, este estudo pretende avaliar os efeitos da expressão das proteínas LMP1 e RPMS1 do EBV na regulação de moléculas com atividade de checkpoints imunológicos empregando linhagens de células neoplásicas derivadas de linfomas EBV-positivos, bem como verificar eventuais reflexos dessa regulação no fenótipo das células cultivadas in vitro. O perfil de expressão de moléculas selecionadas de checkpoints imunológicos será inicialmente avaliado nas linhagens celulares por meio de qPCR. Subsequentemente, será efetuada inibição da expressão de EBV LMP1 e RPMS1 por meio de tecnologia de RNA de interferência (RNAi) para avaliação dos possíveis efeitos em relação à expressão das moléculas de checkpoint imunológico investigadas. Por fim, linhagens com e sem inibição das eventuais moléculas reguladas pela expressão de LMP1 e RPMS1 serão avaliadas quanto a viabilidade celular, citotoxicidade, apoptose e invasão celular in vitro. Ao final dos experimentos espera-se que os dados obtidos possam elucidar a ação de LMP1 e RPMS1 na regulação de moléculas de checkpoints imunológicos, bem como a atuação destas moléculas no fenótipo celular in vitro, propiciando melhor entendimento sobre as propriedades oncogênicas do EBV.