Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resposta inflamatória em células mononucleares do sangue periférico de indivíduos sedentários: papel do exercício físico e capsaicina

Processo: 19/11340-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Beneficiário:Tiago Olean Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Capsaicina   Resposta inflamatória   Treinamento intervalado de alta intensidade

Resumo

A inatividade física associado com maus hábitos alimentares relaciona-se com acúmulo excessivo de tecido adiposo visceral e inflamação crônica de baixo grau. Adoção de estratégias não farmacológicas que potencializem o gasto energético que direcione para redução dos estoques de tecido adiposo, especialmente depósito de gordura visceral e redução nas concentrações de citocinas de caráter pró-inflamatório. Nos hipotetizamos que a adoção do treinamento intervalo de alta intensidade (HIIT - high-intensity interval training) associado com a ingestão diária do compostos bioativo da pimenta popularmente conhecido por capsaicina (capsiate) promovam efeitos protetores por meio da redução da gordura corporal e modulação da resposta inflamatória das células mononucleares do sangue periférico. O objetivo do presente estudo será avaliar o efeito do HIIT associado à suplementação de capsaicina na composição corporal e resposta inflamatória das células mononucleares do sangue periférico (PBMC). O delineamento experimental do estudo será duplo-cego placebo controlado. Os participantes realizarão 12 semanas de HIIT, 3x por semana. Será realizado teste incremental máximo na esteira para quantificar o consumo máximo de oxigênio (VO2max), avaliação corporal será por DEXA e gordura visceral por ultrassonografia. As coletas de sangue em repouso para análises bioquímicas e de citocinas. As PBMCs serão isoladas e estimuladas in vitro LPS e Concacavalina A, na presença ou ausência de capsaicina e capsiate, avaliando a produção de citocinas no meio de cultura, e expressão gênica de proteínas inflamatórias nas PBMC após 48h de tratamento, nos diferentes períodos de treinamento físico. Para o tratamento estatístico, será feito teste de Shapiro-Wilk e análise de variância de duas vias para comparar momentos (pré e pós intervenção), analisados pelo software SPSS (versão 22.0).