Busca avançada
Ano de início
Entree

Escravos e libertos nos registros policiais (São Paulo e Pernambuco, 1827-1888)

Processo: 19/03596-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Alexandre Ferreira
Beneficiário:Larissa Biato de Azevedo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/14786-6 - Escritos sobre os novos mundos: uma história da construção de valores morais em Língua Portuguesa, AP.TEM
Assunto(s):História do Brasil Império   Estado   Escravidão   Século XIX

Resumo

No Brasil do Oitocentos, o problema da segurança pública, como um tema de governo, seguiu-se ao nascimento do Estado Imperial, sobretudo, após a entrada em vigor da Constituição de 1824. A partir de então, foram criados, na Corte e nas províncias, cargos e instituições com a competência de impedir a prática de delitos. De muitas maneiras, e essa não foi uma especificidade da história brasileira, civilizar e evitar a prática de crimes eram temas que, no período, corriam em simultâneo. Todo esse esforço, que mais tarde foi também acompanhado de uma produção legislativa norteadora, resultou num conjunto significativo de registros diários de natureza policial. O objetivo principal desta pesquisa é analisar o lugar de escravos e de libertos nos registros policiais produzidos nas Províncias de São Paulo e de Pernambuco entre 1827 e 1888. A consecução desse objetivo geral será norteada pelas seguintes questões específicas: a partir das Províncias de São Paulo e Pernambuco, partes do que no período Imperial era conhecido como o Sul e o Norte do Brasil, que ocorrências relacionadas a escravos e a libertos foram registradas pelas autoridades policiais nesse período? Que juízos sobre os delitos e os comportamentos desses indivíduos foram partilhados nos registros policiais de ambas as províncias? Que providências quanto a escravos e a libertos constaram nesses registros e como tais medidas se relacionaram com as determinações sobre a segurança pública e particular no Império emitidas pelos Presidentes das duas Províncias em análise e pelos Ministros da Justiça? Busca-se compreender, em suma, como os registros policiais ajudaram a configurar, concomitantemente à construção dos parâmetros de segurança pública e de Estado, um modo de ver escravos e libertos na sociedade brasileira oitocentista.